Porto do Açu, um dos projetos idealizados pelo empresário Eike Batista, mira o agronegócio para diversificar suas operações no futuro

Flavia Marinho
por
-
05-01-2021 14:40:38
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
porto do açu - eike batista - minério de ferro

O porto do Açu, um projeto polêmico, idealizados pelo Eike Batista, foi planejado para se tornar uma grande área industrial, ancorada pela movimentação de minério de ferro

Apesar do foco em projetos relacionados ao gás natural, o porto do Açu, um dos projetos idealizados pelo empresário Eike Batista, está de olho no agronegócio para expandir projetos futuros. Ontem a usina termelétrica e terminal de regaseificação no porto do Açu recebem 1ª carga de GNL, cofira a matéria completa

Leia também

Os primeiros desembarques de fertilizante importado iniciados pelo porto do Alu ocorreram no ano passado e atualmente se apresenta como alternativa para o escoamento de grãos de Minas Gerais e do Centro-Oeste.

A ligação ferroviária, que atualmente não existe e depende do governo federal, é um fator primordial para consolidar as operações no agronegócio do porto do Açu. Por enquanto, as operações são feitas por via rodoviária, o que limita o mercado à produção de grãos não transgênicos, que já usa esse modal, mas tem volumes menores.

O porto do Açu, um projeto polêmico, idealizados pelo empresário Eike Batista, foi planejado para se tornar uma grande área industrial, ancorada pela movimentação de minério de ferro, mas, após a derrocada do grupo do empresário, concentrou sua expansão na prestação de serviços para o setor de petróleo.

Atualmente o porto do Açu, além do terminal de minério de ferro, conta com operações o apoio a plataformas marítimas de petróleo e também um terminal de transferência de óleo para grandes embarcações de exportação da commodity, negócio que provavelmente terá o capital aberto em Bolsa de Valores.

Há também no porto do Açu, um terminal de cargas gerais, no qual começará a atuar na cabotagem, para receber equipamentos petrolíferos importados pelo porto do Rio de Janeiro.

No setor de óleo e gás, o porto tem um projeto de refinaria e inaugurará um aeródromo para prestar serviços de transporte de petroleiros para plataformas em alto-mar. Receberá também um centro de combate integrado a emergências ambientais na bacia de Campos

Usina Termelétrica e terminal de gás no Porto do Açu


A Gás Natural Açu – GNA, iniciou em 2019, no porto do Açu, as obras de uma usina termelétrica e de um terminal de recebimento de gás importado que devem entrar em operação até julho deste ano. Também ja foi autorizada a segunda térmica, no qual o início das obras pode sofrer alterações devido a pandemia.

GNA tem como objetivo tornar o porto do Açu um polo de movimentação de gás natural, conectado à malha de transporte do combustível e a campos produtores em alto-mar.

A empresa tem como alvo o setor de fertilizantes produzidos com base em gás natural, no qual espera expandir nesse segmento, ainda com foco em importações, ampliando o mercado consumidor.

Prumo no porto do Açu

A Prumo atualmente tem participação em seis empresas que operam no porto do Açu. No ano passado a empresa protocolou na CVM o pedido de oferta pública de ações da Açu Petróleo, subsidiária que opera o terminal de transferência de petróleo e será dona da tancagem.

No prospecto, a Prumo vende o negócio com o único e maior terminal privado de petróleo do país, com pouca concorrência na disputa do crescimento da produção nacional.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.