Pirelli encerra sua produção em fábrica no Rio Grande do Sul e cerca de 850 funcionários foram dispensados

Roberta Souza
por
-
19-07-2021 18:21:09
em Indústria e Construção Civil
Fábrica – Rio Grande do Sul – produção Pirelli/ Fonte: Investing

A fábrica da Pirelli em Gravataí, no estado do Rio Grande do Sul, produzia pneus para motos e a empresa operava há 45 anos na cidade

Na última semana, a Pirelli concluiu o fechamento da fábrica de pneus de motos em Gravataí, no estado do Rio Grande do Sul. O anúncio de encerramento da unidade foi feito em maio de 2019, quando a fabricante iniciou um processo de reorganização produtiva que incluiu a adaptação da fábrica no interior de São Paulo. Com o encerramento, cerca de 850 funcionários foram dispensados. Veja ainda: Fabricante de materiais de construção anuncia investimentos de R$ 2,5 bilhões e construção de nova fábrica no estado de São Paulo

O encerramento da produção da unidade no Rio Grande do Sul

O anúncio de encerramento da fábrica em Gravataí foi feito em maio de 2019, quando a fabricante iniciou um processo de reorganização produtiva que incluiu a adaptação da fábrica de Campinas, no interior do estado de São Paulo, para a produção dos pneus que eram fabricados há 45 anos em solo gaúcho.

Nesse intervalo, o governo do Rio Grande do Sul tentou convencer, sem sucesso, a multinacional italiana a desistir da ideia. A Pirelli diz que adotou medidas para diminuir o impacto social do fechamento da fábrica, como a transferência de trabalhadores a outras operações do grupo e a realização de cursos de qualificação profissional para recolocação de quem perdeu o emprego.

Um acordo com o sindicato que representa os trabalhadores da fábrica na região prevê também incentivo financeiro, de acordo com o tempo de serviço, e extensão do plano de saúde por seis meses aos demitidos.

Confira ainda: Fábrica de grafeno no Rio Grande do Sul torna-se alvo de interesse dos chineses para investimentos

A BraCham – Câmara Brasil-China de Comércio, Indústria, Serviço e Inovação – teve seus representantes em uma série de visitas técnicas no Rio Grande do Sul, onde tiveram acesso a diversos projetos que despertaram o interesse dos chineses, especialmente nas cidades de Caxias do Sul e Rondinha. Os chineses demonstraram interesse na fábrica de grafeno da UCS (Universidade de Caxias do Sul), no Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, em Vila Oliva, e no Porto do Litoral Norte, em Rondinha.

A cidade de Caxias do Sul chamou a atenção pela posição empresarial e tecnológica que ocupa no Rio Grande do Sul. Por isso, deve ser a primeira cidade brasileira a sediar o escritório da BraCham. A sede deverá ser no Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da UCS, próximo à fábrica de grafeno da Universidade, TecnoUCS com o aval do governo chinês.

A fábrica de grafeno da UCS permite a ampliação da produtividade a até 5 mil kg/ano, habilitando o UCSGraphene a prestar serviços para os mercados nacional e internacional em diversos setores. As aplicações vão desde eletrônicos, revestimentos e metais, à medicina regenerativa. Alguns exemplos destes usos foram apresentados aos visitantes, bem como uma visita à planta fabril, que atualmente tem capacidade instalada de produção de 500 kg/ano.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos