Início Petrobras aumenta os preços da gasolina e diesel na refinaria

Petrobras aumenta os preços da gasolina e diesel na refinaria

19 de novembro de 2019 às 10:59
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Petrobras, gasolina, refinarias
Petrobras, gasolina, refinarias

Após 53 dias sem fazer reajustes no preço da gasolina,  a Petrobras informa que os reajustes já estão valendo neste dia 19

A Petrobras informa que a gasolina terá uma aumento de 2,7% (R$ 0,05) o diesel 1,2% (R$ 0,026 ) e que estes reajustes já começam a valer nesta terça-feira (19), disse a estatal e nota. Em 1º de novembro de 2019, a Petrobras já havia reduzido o preço do diesel em 3%. Veja também: A Petrobras realiza o maior levantamento sísmico do mundo em Búzios.

Antes do reajuste anunciado, a gasolina sai das refinarias com um preço médio de R$ 1,8054 por litro, agora vai passar a custar R$ 1,8554. O diesel aumenta de R$ 2,1877 para R$ 2,2137 por litro. Estes dados são do  CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura).

O método que a Petrobras usa ajustar os preços dos combustíveis nas refinarias se faz monitorando as flutuações do dólar e cotações do mercado global. Na segunda semana de novembro, o petróleo Brent, que a estatal usa como referência, encerrou com 1,3% em alta, com o dólar fechando a R$ 4,193, sendo essa a segunda maior cotação da historia humana.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Apesar dos valores serem aparentemente “pífios”, são os postos que decidem se repassarão ou não estes preços ao consumidor final, já que a Petrobras não responsável ou tem qualquer autonomia sobre suas decisões.

Preços desatualizados

Na visão dos importadores, os preços que a Petrobras resolveu praticar estão muito defasados se for levado em conta o preço atual do dólar, que aliais, bateu recorde histórico esta semana. Confira aqui a cotação atual e o marco alcançado.

Antes da notícia do reajuste, a CBIE já havia calculado na ultima sexta-feira (15) em R$ 0,10 por litro a defasagem média em relação à cotação do Golfo do México, nos EUA. A Abicom diz que dependendo do ponto de entrega, esta defasagem pode ser entre R$ 0,09 e R$ 0,19 por litro. Veja também: Shell reclama dos altos preços dos blocos da cessão onerosa

O recorde de tempo que a Petrobras ficou sem mexer nos preços dos combustíveis foi 55 dias, mas isto aconteceu entre os meses de fevereiro e abril de 2017. A estatal diz que ainda permanecerá com a sua atual politica de preços:  “Os reais valores de importação variam de agente para agente, dependendo de características como, por exemplo, as relações comerciais no mercado internacional e doméstico, o acesso à infraestrutura logística e a escala de atuação”, diz a estatal.

Relacionados
Mais recentes