Para aumentar a capacidade de geração de energia, cerca de 20 usinas estão construção no Brasil

Roberta Souza
por
-
08-09-2021 12:04:01
em Usina e Agronegócio
Usinas – energia – construção Fontes de energia/ Fonte: Ecomondo Brasil

Um levantamento feito pela CNN, mostrou que 19 usinas termelétricas e uma nuclear, estão em construção no Brasil. Uma ficará pronta este ano

Um levantamento divulgado recentemente pela CNN, mostrou que não será preciso esperar tanto para que o Brasil aumente sua capacidade de geração de energia. Atualmente, o país tem 19 usinas termelétricas em construção e uma nuclear. Juntas, elas vão adicionar 5.080 megawatts ao Sistema Interligado Nacional (SIN) até 2026. Dentre os projetos de energia, sete terão combustíveis fósseis como combustível. Outros 12 serão alimentados por biomassa, utilizando licor negro, produto do tratamento da indústria de papel e celulose, e o bagaço de cana-de-açúcar. Veja ainda esta notícia: AXS Energia irá investir R$ 1 bilhão em 60 usinas de energia solar fotovoltaica, em Minas Gerais

Alternativas para a produção de energia no Brasil

Xisto Vieira Filho, presidente da Associação Brasileira de Geradoras Termelétricas (Abraget), ressalta que o setor despacha diariamente mais de 21 mil megawatts de energia para o país e que, sem ele, o nível atual dos reservatórios das hidrelétricas estaria em 4%. Ele defende o uso das fontes renováveis, mas entende que é necessário ter alternativas, e que a construção de usinas deste tipo demora de três a seis anos, dependendo do porte.

O executivo ainda diz que o gás natural e a energia nuclear são capazes produzir mais energia que outros tipos de termelétricas em apenas uma usina. A hidrelétrica, a solar e a eólica são excelentes e têm custo baixo mas, se não tiver água, sol ou vento, não tem energia. Apresentam elevado nível de intermitência. O Brasil precisa de mais térmicas por causa disto, elas continuam despachando energia, independentemente das condições climáticas, diz Vieira.

As usinas em construção pelo país

A usina Gás Natural do Açu, em São João da Barra, no Norte Fluminense, é a maior das previstas, com capacidade para 1.388 megawatts, e deve ser a primeira a ficar pronta. E a única para 2021. O projeto, em sua fase atual, compreende a implantação de duas usinas termelétricas de ciclo combinado movidas a gás natural (UTE GNA I e UTE GNA II), com capacidade de gerar 3.000 MW de energia firme para o Brasil. Juntas, as duas térmicas irão gerar energia suficiente para atender cerca de 14 milhões de residências.

A Usina Termelétrica Marlim Azul iniciou recentemente a nova fase de construção com a chegada de novos equipamentos. Oo canteiro de obras na cidade de Macaé, registrou a entrega do gerador que irá compor o sistema de produção da UTE, um dos mais modernos e eficientes do mundo. O equipamento de 500 toneladas tem a capacidade de produzir 615 MW (megawatt) por hora de energia, o suficiente para suprir o consumo direto de 1,5 milhão de pessoas.

A UTE da Imetame, será a primeira usina termelétrica carbono neutro do Brasil. Com 50 MW, localizada em Camaçari, no estado da Bahia, a termelétrica começará a operar no segundo semestre do ano que vem e receberá aporte inicial de R$ 180 milhões.

O projeto Angra 3 será a terceira usina da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), localizada na praia de Itaorna, em Angra dos Reis (RJ). Quando entrar em operação comercial, a nova unidade com potência de 1.405 megawatts, será capaz de gerar mais de 12 milhões de megawatts-hora por ano, energia suficiente para abastecer as cidades de Brasília e Belo Horizonte durante o mesmo período. Com Angra 3, a energia nuclear passará a gerar o equivalente a 50% do consumo do Estado do Rio de Janeiro.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe