Novo levantamento do setor de petróleo e gás indica que o Brasil será o grande motor do mercado de FPSOs até 2022

Valdemar Medeiros
por
-
04-07-2021 10:36:26
em Petróleo, Óleo e Gás
petróleo e gás - offshore - FPSOs - mercado FPSO Mero 2 – créditos: SBM offshore

Brasil receberá no ano que vem 10 FPSOs e segundo levantamento do setor de petróleo e gás, o país será um dos principais players do mercado

Segundo um levantamento do setor de petróleo e gás, o Brasil será um grande propulsor no mercado de FPSOs no fim de 2021 e também em 2022. O levantamento afirma que seis dos 14 FPSOs que devem ser contratados em todo o mundo neste período serão voltados para a costa brasileira. Já no segundo semestre deste ano, o mercado de petróleo e gás pretende encomendar cerca de quatro FPSOs, sendo dois para bacias brasileiras.

Leia também

Rystad Energy aponta Brasil como principais players do mercado de petróleo e gás

O levantamento sobre a atuação do Brasil nesse mercado foi feito pela empresa de pesquisa energética Rystad Energy. Se todos os contratos que estão previstos no levantamento, para 2021 forem confirmados, o mercado de FPSOs fechará o ano com 10 encomendas, que é mais que o triplo do ano de 2020.

Segundo a Rystad, os dados indicam um rápido retorno nas atividades de contratações das embarcações, apesar da pandemia do novo coronavírus. De acordo com Aleksander Erstad, o analista de pesquisa de serviços de energia da Rystad Energy, “não é como se os empreiteiros do setor de petróleo e gás estivessem fora do mercado, atualmente existem cerca de 20 FPSOs em construção, com alguns previstos para operarem ainda este ano, mas depois da queda de 2020, os prêmios esperados e os recentes estão dobrando o fluxo, dando garantia que os fabricantes irão ter serviço nos próximos anos.”

Parque das Baleias e Mero 4 serão as primeiras contempladas

De acordo com o levantamento do setor de petróleo e gás, os dois que estão previstos para 2021 serão divididos em Mero 4, onde a única licitante foi a SBM Offshore e o Parque das Baleias, que recebeu propostas apenas da Yinson.

A empresa de pesquisa energética ressalta também que a cadeia de suprimentos de FPSOs está quase em sua capacidade total, com diversos fornecedores incapazes de dar conta de novos projetos. Os outros 10 projetos que serão anunciados no próximo ano, irão se igualar à demanda de 2021.

A grande parte dos contratos de FPSO irão vir da América Latina, com quatro unidades vindas ao Brasil e uma para a Guiana. Reino Unido e Angola também irão dividir 4 embarcações e a Austrália irá ganhar mais uma embarcação.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.