Início Não só Petrobras e Shell tiveram lucro recorde: BP, gigante britânica petroleira, também obteve o maior retorno bilionário dos últimos 14 anos com a alta do petróleo; confira valores!

Não só Petrobras e Shell tiveram lucro recorde: BP, gigante britânica petroleira, também obteve o maior retorno bilionário dos últimos 14 anos com a alta do petróleo; confira valores!

2 de agosto de 2022 às 07:32
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Não só Petrobras e Shell tiveram lucro recorde: BP, gigante britânica petroleira, também obteve o maior retorno bilionário dos últimos 14 anos com a alta do petróleo; confira valores!
Fonte da imagem: Canva

A  BP é uma das multinacionais que saíram privilegiadas com a alta das commodities e guerra que ocorre entre a Rússia e a Ucrânia. No entanto, de acordo com os analistas, a alta do petróleo está perto do fim devido a estagnação mundial, que deve diminuir os crescimentos do PIB (Produto Interno Bruto) inclusive no Brasil. Estas empresas poderão perder os privilégios de caixa, inclusive a Petrobras, que anunciou, na última sexta-feira, 29 de julho, uma nova redução sobre o preço dos combustíveis. 

A gigante petroleira britânica, BP, anunciou que teve um dos seus maiores lucros dos últimos 14 anos com a nova alta do petróleo Brent após a guerra entre a Ucrânia e a Rússia. A instituição está competindo diretamente com a Petrobras, que teve um retorno de caixa de R$ 53 bilhões no último trimestre. De acordo com o balanço revelado, o retorno da multinacional foi acima de  US$ 8,5 bilhões, o que é equivalente a mais de R$ 40 bilhões em conversão direta para o real.  Após os resultados, as bolsas do mundo inteiro caíram, principalmente na China, que perdeu ao menos 2% de negociação nesta terça-feira, 02 de agosto. 

O resultado foi disparado em meio a uma alta intensa sobre o valor da gasolina e diesel em relação aos conflitos internacionais dos Estados Unidos sobre a guerra que ocorre entre a Rússia e a Ucrânia. Na semana passada, a Shell também revelou quais foram os seus lucros, também apresentando valores recordes para os acionistas. 

Artigos recomendados

De acordo com a CNN, as operadoras repassaram as altas do barril em mais de 100% para os consumidores e, assim sendo, conseguiram “segurar as pontas” e não apresentar prejuízos mesmo em meio a uma crise do petróleo e falta de fornecimento dos russos. Como forma de controlar os preços, os Estados Unidos, liderado por Joe Biden, anunciou que tinha interesse em voltar a negociar com os venezuelanos, dessa forma, o país poderia pagar as suas dívidas externas com norte-americanos e europeus. 

Lucro na BP: O que está causando a disparada dos preços do petróleo? 

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Seu Dinheiro e compartilhada pelo Click Petróleo e Gás, é estimado que as quedas do petróleo tenham ocorrido em cinco das últimas seis estações da economia. E, a partir das próximas semanas, é provável que as variações continuem acontecendo expressivamente, fazendo com que as commodities despenquem, prejudicando empresas como a BP.

A alta do óleo e gás faz com que a inflação em escala mundial estoure, visto que os fretes ficam mais caros e são repassados aos consumidores por intermédio dos preços dos produtos. Empresas de transporte e logística já anunciaram que terminarão o ano no Brasil com inflação acima de 10% que não será repassada aos consumidores finais. 

No Brasil, o valor da gasolina vem sendo controlado e, em Santa Catarina (SC), chegou a cerca de R$ 5,4 em algumas cidades, como em Nova Trento. No entanto, o preço no litoral ainda é mais caro, estando por volta de R$ 5,9, inclusive em cidades vizinhas às praianas, como em Brusque. 

Bolsonaro afirma que não pode intervir nos preços praticados pela Petrobras e que cabe à estatal se conscientizar em relação à economia dos brasileiros e abaixar os valores cobrados. Em clima de eleição no Brasil para determinar quem deverá administrar o país pelos próximos 4 anos, a empresa anunciou que estaria diminuindo mais quinze centavos diretamente das refinarias. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes