Início Gasolina é vendida a R$ 5,4 no centro-oeste de Santa Catarina (SC) após alterações de preços pela Petrobras. Quais são as cidades mais caras e mais baratas por litro?

Gasolina é vendida a R$ 5,4 no centro-oeste de Santa Catarina (SC) após alterações de preços pela Petrobras. Quais são as cidades mais caras e mais baratas por litro?

1 de agosto de 2022 às 07:09
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Gasolina é vendida a R$ 5,4 no centro-oeste de Santa Catarina (SC) após alterações de preços pela Petrobras. Quais são as cidades mais caras e mais baratas por litro?
Fonte: Pixabay

A cidade de Nova Trento, indo em direção ao centro-oeste, apresenta valores da gasolina em R$ 5,4 no estado de Santa Catarina (SC). 

Indo em direção ao centro-oeste do estado de Santa Catarina (SC), a gasolina está sendo cotada a R$ 5,4, um dos valores mais em conta dos últimos meses, o preço encontrado estava em um posto indo de Brusque para Claraíba, bairro de Nova Trento.  De acordo com moradores da região, muitas pessoas vêm de cidades vizinhas para abastecer  o tanque do automóvel, visto que a diferença de valores de um posto para outro chega a ser maior que R$ 0,5 após alterações da Petrobras. 

Os preços enfrentam fortes quedas neste mês de julho, a Petrobras anunciou novas reduções sobre o valor do litro que poderiam impactar profundamente o bolso dos consumidores. Apesar da gasolina estar mais baixa, sendo R$ 5,4  no centro-oeste e R$ 5,9 no litoral, o diesel continua flertando com R$ 8 em todas as localizações. O etanol, entretanto, apresenta variações negativas. 

Artigos recomendados

ICMS em Santa Catarina está congelado em cerca de 17%

O governador Carlos Moisés aprovou um projeto que permitiria congelar as porcentagens de ICMS no estado de Santa Catarina (SC) em 17% sobre o valor dos combustíveis. Por enquanto, Laguna, também cidade litorânea, está com um dos valores mais baixos para o leste, chegando a cerca de R$ 5,45. Joinville, cidade localizada no norte de Santa Catarina (SC) também testou preços em queda,  obtendo uma média de venda dos postos em R$ 5,50. 

No mês passado, a cidade de Caçador era uma que estava com um dos preços mais elevados em todo o estado catarinense, com a gasolina sendo vendida a R$ 7,1 o litro. 

Petrobras aprova diretriz que colocará em prática sua política de preços de forma acentuada

Durante a última quarta-feira, 27 de julho, a Petrobras aprovou uma diretriz que colocará em prática, de forma ainda mais acentuada, a sua política de preços aprovada pelo governo Temer em 2016. Agora, a estatal adotará medidas mais rígidas para analisar as variações  dos combustíveis em escala nacional em um trimestre para melhorar os retornos de lucro de caixa. Apenas no trimestre passado, de acordo com a instituição, teriam registrado um lucro acima de R$50 bilhões. 

A alta do petróleo, que foi intensificada após a guerra que ocorre entre a Rússia e a Ucrânia, fez com que a estatal tivesse aumentos de lucros para R$ 50 bilhões no trimestre passado tendo em vista a instabilidade do mercado. Jair Bolsonaro, presidente da República, afirma, entretanto, que não pode controlar as variações de preços da estatal e que cabe a ela se “consicentizar ao povo brasileiro”.

Com queda dos combustíveis, principalmente da gasolina, prévias da inflação de julho terminam negativas 

Apesar dos índices de IPCA não terem sido liberados pelo IBGE de forma oficial em relação ao mês de julho, às prévias da inflação terminaram, de acordo com o Infomoney, negativas. A negativação do IPCA teria ocorrido após os estados diminuírem as cobranças de ICMS  sobre a gasolina e etanol e também pelo controle dos preços da Petrobras, que refletiram diretamente no valor dos produtos. 

A negativa foi de 0,13%. Mas, analistas afirmam que este número não deve ser positivo a longo prazo e mostram que houve deflação. O setor de transporte e logística é um dos que mais estão sofrendo com as variações dos preços de combustíveis, visto que há uma porcentagem de 10% que estão perdendo para não perpassar as variações de IPCA para  os consumidores finais. 

Como forma de reverter a crise, o governo de Jair Bolsonaro aprovou um projeto que permitirá a realização de pagamentos de R$ 1 mil por mês aos caminhoneiros autônomos. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes