Mais um poço começa a produzir em Tubarão Martelo sob comando da PetroRio, produzindo 40% a mais de petróleo no ativo

Paulo Nogueira
por
-
19-08-2020 05:37:21
em Petróleo, Óleo e Gás
FPSO_OSX-3 PetroRio Petróleo poço FPSO_OSX-3, PetroRio

A brasileira de petróleo e gás PetroRio iniciou a produção do 5ª poço no campo de Tubarão Martelo, no offshore

A PetroRio disse nesta terça-feira que o início da produção do poço fez parte de uma campanha de revitalização do campo. A campanha de revitalização consiste em um workover no poço TBMT-2HP com a substituição da bomba submersível e a conexão de um quinto poço produtor – TBMT-4HP – ao FPSO OSX-3 de propriedade da PetroRio.

Mais algumas notícias do mercado

Em junho de 2020, a Dommo Energia – então operadora de Tubarão Martelo – anunciou os resultados positivos do workover, que elevou os níveis de produção do campo para cerca de 7.000 barris de óleo por dia.

Assim que o workover foi concluído, a conexão do TBMT-4HP foi realizada, o que resultou na produção inicial de aproximadamente 3.000 barris por dia, aumentando assim a produção do campo para 10.000 barris por dia ou um aumento de 40 por cento em relação aos níveis anteriores.

Mapa do Campo de Tubarão PetroRio FPSO
Campo de Tubarão – Cortesia PetroRio

A empresa disse que a revitalização de campos maduros foi parte fundamental da estratégia da PetroRio e “desempenha um papel importante na redução contínua dos custos de extração por barril da empresa, no aumento contínuo do fator de recuperação dos campos operados pela empresa, e na o contínuo aumento da vida econômica de seus ativos ”.

Amarração de Tubarão Martelo ao Campo de Polvo

A empresa estima que o investimento do projeto chegará a cerca de US $ 45 milhões a serem desembolsados durante o primeiro semestre de 2021.

Além disso, a PetroRio espera aproveitar a conexão do campo de Polvo ao FPSO OSX-3, para fazer novos investimentos para a conexão de um sexto poço – o poço TBMT-10H – que pode custar entre US $ 20 milhões e US $ 25 milhões.

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.