Macaé a beira do abismo econômico: 80% das atividades offshore serão transferidas para o Porto do Açú

Macaé vive a sombra da falência e se nada for feito toda a região fluminense sofrerá o impacto econômico

Macaé, carinhosamente chamada de Princesinha do Atlântico e conhecida nos 4 quadrantes do Globo como a Capital Nacional do Petróleo por grandes multinacionais do ramo petrolífero, corre o risco real de ter sua economia brutalmente desfragmentada por conta da migração do sistema portuário e operações do setor offshore para o Porto do Açú, localizado em São João da Barra. Acontece que a empresa Edson Chouest, que mantém as atividades logísticas e portuárias na cidade, irá migrar cerca de 80% de suas operações e deixando Macaé apenas para atender emergências.

A SindipetroNF diz que Macaé se tornará irrelevante e correrá o risco do esvaziamento total da cidade, o que seria um desastre incalculável já que a cidade vivê e sobrevive integralmente dos recursos advindos da exploração do petróleo. Os representantes do sindicato ainda reforçaram que a falta de planejamento e má vontade política que levam a cidade a esse ponto. Como por exemplo a lei de zoneamento urbano para a construção do “Porto do Barreto” que o atual prefeito Dr. Aluízio não assinou alguns anos atrás, alegando que insurgências e falhas na emenda mostradas pelos vereadores de Macaé. Esse projeto é o que literalmente salvaria a cidade ou na pior da hipóteses, manteria a cidade estabilizada, já que em decorrência desse porto, teríamos ainda alguma atividade do setor offshore na região.

A Edson Chouest anunciou que as operações em São João da Barra se encontram a todo vapor e que o sistema portuário da região é impressionante, capaz de oferecer serviços offshore de alta qualidade e baixo custo. A Petrobras já está se mobilizando e alugando de modo avassalador vários imóveis em Campos dos Goytacazes, deixando Macaé literalmente a “ver navios”.

Piorando ainda mais a situação de Macaé, o governo federal liberou a construção do Porto Central do Espirito Santo, o que deixa a “Princesinha do Atlântico” em uma situação de quase morte.

Mediante a situação, foi criado a iniciativa “Macaé Porto Já”, que unem a sociedade civil e as forças sindicais para tentar salvar a cidade do abismo econômico que está praticamente por um fio. Esse petição é uma espécie de pressão para que os representantes políticos não somente da cidade, mas de toda região se atentem e tomem atitudes para que o projeto do porto em Macaé seja retomado o quanto antes.

Abaixo segue um pequeno vídeo sobre o Porto do Açú e sua extensão territorial. Impressionante, não?

É uma pena que Macaé, cidade com história e tradição no ramo do petróleo e gás tenha chegado a esse ponto. A verdade é que a cidade encontra-se em um coma profundo, respirando apenas por aparelhos, desliga-los ou não depende de você.

Se você quer ajudar a cidade, compartilhe essa notícia e assine a petição oficial clicando aqui.

Participe também do grupo São João da Barra, Porto do Açú, economia e empregos.

Baixem o nosso aplicativo para Android, notícias e vagas de empregos na palma da mão com atualizações diárias, sempre focado em processos seletivos reais e com fontes de alta credibilidade. O app é leve e economiza muitos dados móveis, já que a maioria de nossos leitores acessam as nossas matérias em dispositivos móveis. Temos catalogo de produtos, cursos relacionados, empresas que estão contratando, dicas, vídeos e interação entre os usuários. BAIXEM AGORA NA PlayStore CLICANDO AQUI.
The following two tabs change content below.
Paulo Nogueira
Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás como técnico de operações, Pressure Downrole Gauge Operator e em plataformas de completação do Brasil e exterior
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.