Justiça proíbe que concessionárias cortem energia elétrica e água do Estaleiro Mauá

Flavia Marinho
por
-
24-04-2020 18:25:42
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Justiça proíbe que concessionárias cortem energia elétrica e água do Estaleiro Mauá Justiça proíbe que concessionárias cortem energia elétrica e água do Estaleiro Mauá

Estaleiro Mauá – Niterói (RJ) – Em meio a pandemia, as concessionárias de energia elétrica e água foram proibidas de cortar o fornecimento de energia elétrica e água do estaleiro Mauá. Enquanto isso o estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, confirma funcionários infectados por Covid-19

A decisão foi emitida pelo juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio

Pela determinação judicial, os cortes de energia elétrica e água estarão suspensos no estaleiro Mauá por noventa dias ou até o término da pandemia pelo novo coronavírus que vem causando um caos global.

Para o estaleiro Mauá é uma tranquilidade, visto que o mesmo se encontra em processo de recuperação judicial e acumula dívidas de 1,5 bilhão de reais.

De acordo com o Roberto Carlos Keppler , sócio da Keppler Advogados Associados “A decisão evita o corte de serviços essenciais à continuidade da atividade, possibilitando a manutenção da empresa durante o período da crise”.

Em pensar que o estaleiro Mauá estava entre os maiores polos de construção naval do Brasil, chegando empregar cerca de 10 mil trabalhadores.

O estaleiro Mauá conta hoje com cerca de 300 trabalhadores e presta serviços de reparo naval, prestação de serviço de armazenagem de mercadorias e atuando também como terminal portuário.

Seaport Logística assina acordo com Estaleiro Mauá para operações portuárias e de apoio offshore

Em fevereiro deste ano, a empresa Seaport Logística assinou um memorando de entendimentos (Memorandum of Understanding – MOU) com o Estaleiro Mauá para realizar serviços de operações portuárias e apoio logístico offshore. Com essa parceria firmada, a expectativa é que sejam gerados muitos empregos diretos e indiretos no RJ

Os valores do contrato não foram informados, mas trata-se de um acordo de longo prazo com o objetivo de atender o mercado offshore (one stop shop) e movimentação de carros (Navios Ro-Ro).

As expectativas são as melhores, pois o Rio de Janeiro terá mais um player que somará mais de 180.000 m2 de área a ser desenvolvida com novos negócios offshore e com 2 berços que equivalem a mais de 600 metros de comprimento.

 

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.