Grupo Electra e Vinci Partners investem R$ 2,5 bi para a construção de usinas de energia eólica e solar na Bahia e no Rio Grande do Sul

Grupo Electra e Vinci - Bahia-e-Rio-Grande-do-Sul. - energia eólica - energia solar - usinas - A ideia é que o complexo de energia renovável da empresa possa alimentar milhares de residências – crédito: Reprodução/Insit

Grupo Electra e Vinci Partners estão investindo, juntas, R$ 2,5 bilhões para a construção de usinas de energia eólica e energia solar na Bahia e no Rio Grande do Sul

O Grupo Electra e a Vinci Partners fecharam uma parceria para instalar usinas de energia renovável no Brasil. A parceria das empresas prevê usinas de energia solar de quase 400 MWP no estado da Bahia e de energia eólica de 120 MW no Rio Grande do Sul. O empreendimento de energia solar na Bahia tem previsão de receber um investimento no valor de R$ 1,7 bilhão, tendo sua construção iniciada na primeira metade do próximo ano. Já a de energia eólica, no Rio Grande do Sul, serão investidos cerca de R$ 700 milhões e a perspectiva é de que as obras se iniciem em 2024.

Leia outras notícias relacionadas

Empresa do Grupo Electra pode se tornar um grande player no setor renovável

Os projetos das usinas de energia eólica e energia solar no Rio Grande do Sul e na Bahia estão sendo desenvolvidos pela Gradiente Energias Renováveis, empresa do Grupo Electra que tem foco no desenvolvimento e investimentos de projetos de energia renovável para o mercado livre.

De acordo com Sergio Brandão, presidente da empresa, a parceria entre as companhias demonstra que a Gradiente tem todos os ingredientes para se tornar um player importante no setor de energia renovável, como a energia solar e a energia eólica, contribuindo para a evolução das regiões em que atua e para o progresso no país.

Já de acordo com José Guilherme Souza, sócio e head de Infraestrutura da Vinci Partners, a Gradiente, com toda a experiência de sua equipe, está se mostrando como um parceiro ideal para que os investimentos em ativos de energia solar e energia eólica sejam expandidos, contribuindo de forma significativa para a redução dos impactos do aquecimento global.

Entenda o motivo da escolha da Bahia e do Rio Grande do Sul para a construção das usinas

A Bahia conta com a liderança no setor de energia solar, principalmente nos municípios de Tabocas, Bom Jesus da Lapa, Brejo Velho, Salvador, Juazeiro, Itaguaçu da Bahia e Guanambi.

Segundo a Aneel e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia, o panorama da fonte solar no estado conta com 25% das usinas solares do país, sendo líder nacional em geração solar no Brasil. As usinas na Bahia contam com 316 MW de potência instalada. Além de registrar uma média de 22,8 MW médios, segundo informações da CCEE.

Já o Rio Grande do Sul, por outro lado, é atualmente o quinto Estado do país com maior potência em energia eólica instalada. Ao total são 1.836 MW divididos em 80 usinas de geração a partir dos ventos. A fonte participa com 27,5% na energia gerada e 19,6% da potência instalada no Rio Grande do Sul.

Conheça as empresas envolvidas

A Electra, há mais de 25 anos no mercado, foi fundada por meio da junção da vontade de realizar sonhos e pela experiência acumulada ao longo dos anos por profissionais empenhados que sempre buscam entregar o melhor aos clientes.

Atualmente o Grupo atua em mais de 9 setores e atende empresas privadas e públicas. Já a Vinci Partners foi fundada em 2009 por gestores com uma extensa experiência no mercado financeiro e conta com um alto conhecimento da economia brasileira e extensa rede de relacionamentos.

No total, a empresa conta com R$ 57 bilhões sob gestão, 297 fundos/veículos e 34 sócios com experiências complementares.  

Publicidade




Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.