FPSO Guanabara MV31, a maior plataforma do tipo já construída pela MODEC, alcança o primeiro petróleo no pré-sal e inicia a Carta Tempo de 22 Anos com o gigante do petróleo brasileiro Petrobras

Flavia Marinho
por
-
06-05-2022 07:37:20
em Petróleo, Óleo e Gás
Guanabara - modec - pré-sal - petróleo - Petrobras - FPSO - Guanabara O FPSO Guanabara MV31 da MODEC para o “pré-sal” brasileiro alcança o Primeiro Petróleo – Imagem MODEC




Atualmente, a MODEC opera 11 unidades no Brasil e tem outras três (3) em construção para o país, a saber, o FPSO Almirante Barroso MV32, o FPSO Anita Garibaldi MV33 e um FPSO para o projeto Bacalhau da Equinor.

MODEC anunciou hoje (06/05) que o FPSO Guanabara MV31, implantado para operações no campo de Mero, na gigantesca região do “pré-sal” da Bacia de Santos, ao largo da costa do Brasil, alcançou a Primeira Produção de Petróleo e iniciou os serviços de fretamento em 1o de maio de 2022. É o maior FPSO construído pela empresa até o momento.

Atracado a cerca de 180 quilômetros do litoral do Rio de Janeiro, a uma profundidade de água de aproximadamente 2.100 metros, o FPSO é capaz de processar 180.000 barris de petróleo bruto, 424 milhões de pés cúbicos padrão de gás e 225.000 barris de injeção de água por dia, e tem capacidade de armazenamento de 1.400.000 barris de petróleo bruto

Artigos recomendados

O FPSO é alugado com um contrato de fretamento de 22 anos para a gigante do Petróleo Brasileiro Petrobras. A MODEC foi responsável pela engenharia, aquisição, construção e mobilização do FPSO, incluindo equipamentos de processamento de topo, bem como sistemas de casco e marítimo. A SOFEC, Inc., uma empresa do grupo MODEC, projetou e forneceu o sistema de amarração espalhada do FPSO.

FPSO Guanabara é o 14o navio FPSO que a japonesa entrega à Petrobras

Este é o 14o navio FPSO que o MODEC entregou ao setor brasileiro de petróleo e gás, bem como o 7o FPSO do MODEC na região do “pré-sal”. O FPSO Guanabara MV31 foi projetado para reinjetar 100% do gás processado de volta no poço de petróleo.

Atualmente, a MODEC opera 11 unidades no Brasil e tem outras três (3) em construção para o país, a saber, o FPSO Almirante Barroso MV32, o FPSO Anita Garibaldi MV33 e um FPSO para o projeto Bacalhau da Equinor.

“A MODEC se orgulha de ter a oportunidade de desempenhar um papel no crescente mercado de produção de petróleo do Brasil e de apoiar a missão de nosso parceiro de longa data em acelerar a extração de petróleo e gás no polígono do pré-sal”, disse Soichi Ide, Presidente e CEO da MODEC Offshore Production Systems (Cingapura) Pte. Ltd. (“MODEC Singapore”). “Sendo este o nosso 7o FPSO do pré-sal, entendemos completamente os meandros do desenvolvimento de águas profundas e as dificuldades técnicas da produção do pré-sal, e adaptamos nossas embarcações para superar esses desafios.”

O navio é o terceiro operado pela MODEC a iniciar a produção nos últimos meses. Em agosto de 2021, a empresa começou a operar o FPSO Carioca MV30 no campo de Sépia, também na região do “pré-sal” da Bacia de Santos, e em fevereiro de 2022, iniciou a produção do FPSO MIAMTE MV34 no Golfo do México.

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.