Eni faz descoberta de petróleo leve no mar de Angola

ENI POSEIDON ANGOLA DESCOBERTA PETRÓLEO

A companhia italiana de petróleo Eni fez uma nova descoberta de petróleo leve no Bloco 15/06, em águas profundas de Angola. O poço foi perfurado no prospecto de exploração de Ndungu

De acordo com o comunicado da Eni na terça-feira, estima-se que a nova descoberta contenha até 250 milhões de barris de petróleo leve, com mais vantagens. O poço Ndungu-1 NFW está localizado a poucos quilômetros das instalações do Centro Oeste da Eni e foi perfurado pelo navio-sonda Poseidon em uma profundidade de 1076 metros e atingiu uma profundidade total de 4050 metros.

O navio-sonda Poseidon era anteriormente propriedade da Ocean Rig até que o perfurador fosse adquirido pela Transocean em dezembro de 2018. O navio-sonda começou a trabalhar para a Eni em Angola em novembro do ano passado após uma campanha de perfuração na Namíbia onde havia perfurado a Chariot e a Tullow. A Eni contratou o Poseidon para um programa firme de quatro poços.

Eni disse que o Ndungu-1 NFW provou uma única coluna de óleo de aproximadamente 65 metros com 45 metros de net pay de óleo de alta qualidade (35 ° API) contido em arenitos Oligocene com excelentes propriedades petrofísicas. O resultado da coleta intensiva de dados indica uma capacidade de produção superior a 10 mil barris de petróleo por dia.

Ndungu é a primeira descoberta significativa de petróleo em Angola dentro de uma Área de Desenvolvimento já existente. Certifica a validade concreta da legislação recente, promovida através do Decreto Legislativo Presidencial nº 5/18 de 18 de maio de 2018, que define um quadro legal favorável sobre atividades adicionais de exploração dentro das Áreas de Desenvolvimento existentes.

Estando localizada a cerca de 2 km do campo de Mpungi, a nova descoberta pode ser acelerada para a produção devido à proximidade do sistema de produção submarina. A produção será encaminhada para o FPSO Ngoma, estendendo, portanto, o patamar de produção do Centro Oeste, explicou Eni.

Ndungu é a quarta descoberta de natureza comercial desde que o empreendimento conjunto Block 15/06 relançou sua campanha de exploração em meados de 2018. Segue as descobertas de Kalimba, Afoxé e Agogo; as quatro descobertas já estimam conter até 1,4 bilhão de barris de óleo leve no lugar. A fase de avaliação dessas descobertas terá como alvo seu lado positivo adicional.

Para lembrar, a Eni anunciou “uma grande descoberta de petróleo” no Bloco 15/06, no prospecto de exploração do Agogo, em águas profundas de Angola, em março de 2019.

Eni disse que essas importantes descobertas demonstram ainda mais o potencial positivo do bloco e a eficácia das tecnologias proprietárias que a Eni usou e usará para explorar o Bloco 15/06.

O empreendimento conjunto Block 15/06, composto pela Eni (operadora, 36,8421%), Sonangol P & P (36,8421%) e SSI Fifteen Limited (26,3158%), trabalhará para acelerar seu desenvolvimento.

⇒ Leia mais

Petrobras inicia venda de 93,7% da Breitener Energética S.A, duas termoelétricas em Manaus

NR’s podem ser reduzidas em 90% pelo governo para aumentar produtividade do empreendedor

Fornecedores de Manutenção Offshore: Saibam quais empresas prestam serviços para Petrobras pós Lava-Jato

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.