Energia renovável renova esperanças de tarifas mais baixas em contas de energia para pessoas de classe média baixa

Valdemar Medeiros
por
-
29-10-2020 16:57:38
em Energia Renovável
Energia renovável - energia - classe média baixa Painéis de energia solar em complexo da Bahia

Ser solidário é consumir a energia gerada no próprio município” – este é o mote de um projeto de geração distribuída de energia renovável em um dos muitos bairros de classe média baixa do Brasil.  

“Sertão (palavra para sertão semiárido do país) com solidariedade” é como o diretor da Associação Brasileira de Geração Distribuída de energia (ABGD) de Minas Gerais, Walter Abreu, batizou o projeto de energia renovável para pessoas de classe média baixa. A entidade promove a energia solar no norte daquele estado, onde 1,5 milhão dos 2,7 milhões de habitantes do estado vivem na pobreza e metade deles em extrema pobreza.

Leia também

O governo deveria investir mais em energia renovável

Se os governos locais decidissem usar painéis solares para gerar energia consumida por seus escritórios e outras instalações, isso representaria uma economia significativa nos gastos públicos e receitas comparáveis a um salário mínimo (cerca de 200 dólares por mês) para 3.500 famílias, estimou Abreu em entrevista à Solar TV , canal que defende o uso de energia renovável.

Outra estimativa que ele forneceu é que aumentar a proporção de energia renovável na rede elétrica nacional para cinco por cento poderia tirar da pobreza dois milhões de pessoas no semiárido Nordeste do Brasil, uma região de 27 milhões de pessoas que experimentou a maior seca entre 2011 e 2018.

Geração distribuída de energia para pessoas de classe média baixa

A geração distribuída ou descentralizada é vista como um meio importante de dar um impulso social às comunidades pobres ou com baixo consumo de energia em diferentes partes deste país, onde 23,7 milhões de pessoas de uma população total de 212 milhões vivem na pobreza e outras classe média baixa.

A expansão da geração descentralizada faz parte de uma transição mais ampla em vários setores, como a descarbonização em resposta aos requisitos de combate às mudanças climáticas, a quebra dos monopólios e o empoderamento dos consumidores para se tornarem “prosumidores” – tanto produtores quanto consumidores de energia renovável ao mesmo tempo.

A energia renovável é geradora de empregos para a classe média baixa

energia renovável - energia - classe média baixa - energia
O conjunto habitacional para mil famílias carentes de Juazeiro, na Bahia, foi construído no início da última década com 9.144 painéis solares para gerar energia para o autoconsumo e vender o excedente. Em 2016, o pagamento mensal de cerca de 18 reais a cada morador foi suspenso porque o projeto não atendia a todos os requisitos de geração distribuída. CRÉDITO: Mario Osava / IPS

Nesse processo, a energia renovável desempenha um papel de destaque, “como a fonte que mais cresce e gera mais empregos”, disse à IPS, por telefone de São Paulo, Carlos Evangelista, presidente da ABGD. Além disso, 57 por cento desses empregos no Brasil decorrem da instalação dos sistemas de energia solar, ou seja, são locais, não distantes ou estrangeiros, como os trabalhos de fabricação e comercialização dos equipamentos, destacou.

Os sistemas isolados de energia solar em muitas comunidades na floresta amazônica, longe da rede elétrica, produzem talvez os efeitos mais notáveis. São usados para bombear água e refrigerar para conservar peixes, principal fonte de proteína local, outros alimentos e produtos florestais exportáveis, como o açaí, fruto de uma palmeira do mesmo nome (Euterpe oleracea).

Em geral, aldeias e vilarejos dispersos na selva contam com geradores a diesel ou a gasolina, que operam apenas algumas horas da noite, devido ao alto custo do combustível e sua escassez. O combustível leva dias para ser trazido de barco fluvial.

ABGD, com o apoio da Fundação Charles Stewart Mott, dos Estados Unidos , dos Estados , promove políticas e projetos junto a mais de sessenta municípios da selva amazônica no norte do Brasil, com o objetivo de “mobilizar recursos para uma economia que faz a transição dos combustíveis fósseis para renováveis e a energia solar é uma das soluções ”, afirmou Evangelista.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.