Empresa do Paraná desenvolve novo modelo de turbina inédita no Brasil

Turbina paraná tecnologia
 

Novo modelo de turbina híbrida com levitação magnética, utilizada pela empresa Jaoan Solar, tendo sua sede no Paraná, é desenvolvida no Brasil. Apostando em um sistema que une as fontes solares e eólica, o projeto traz novidades no que se refere a vertente tecnológica.

O material utilizado nesse novo modelo de turbina híbrida com levitação magnética feita no Paraná, é um material com muito uso atualmente,  é nomeado  um dos elementos que vão revolucionar a indústria tecnológica como um todo devido a sua  leveza, resistência, flexibilidade e transparência, além de ser um ótimo condutor de eletricidade, que é o grafeno. À vista disso, o equipamento mantém-se sem cargas mecânicas e elétricas, o que ocasiona a produção contínua de energia. A princípio, a proposta é atender ao mercado nacional, abrangendo diversas áreas e tipos de aplicação desse novo modelo de turbina hídrica, com levitação magnética no Brasil, para posteriormente tentar expandir o produto para o exterior.

Algumas das características especiais da turbina são:

  • Trabalha sob o sistema MagLev de levitação magnética, logo que essa tecnologia necessita de menor velocidade de vento para produção nominal.
  • Possui um alternador tradicional.
  • Cria um campo elétrico magnético e um diferencial de potencial, gerando energia elétrica.
  • Trabalha por levitação e se utiliza a mesma tecnologia do trem-bala.

A aposta desta turbina é que com o uso do alternador MagLev e do grafeno, por conter  menos componentes, ele quase não terá manutenção. O grafeno é procurado pelos quatro cantos do mundo através de pesquisas para descobrir a maioria das suas propriedades, porém, pouquíssimos conseguiram fazer a sua aplicação. Contudo, o sistema Titan MagLev é um dos primeiros produtos a conseguir funcionalidade.

Uma da grande sacada do projeto, foi descobrir que o novo modelo de turbina híbrida com levitação magnética, precisa de cerca de um terço de capacidade de vento para fazer a turbina girar nominalmente. O elemento grafeno agregado ao sistema elétrico de controle da turbina, é capaz de mandar informações de que não tem nada ligado a ele para o alternador MagLev. Logo, se não possuí carga, ele funciona livre, e qualquer vento consegue girar o alternador quase que sem parar.

Uma das grandes vantagens da turbina híbrida com levitação magnética, é que possuí um sistema de turbina vertical, o qual favorece muito porque foi projetado para ser utilizado tanto na zona rural quanto na zona urbana. Seja em qualquer espaço, grande ou pequeno. Em lugares onde a seca é na maioria das vezes a realidade, sua aplicação também será possível.

Não se trata apenas de um projeto! O projeto piloto já foi otimizado na Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundetec), no Paraná, e a contar desta semana, em Curitiba, será dado início a produção em escala industrial. Após conferência e teste, sairão as homologações e certificações para que posteriormente possa ser instalado em todo território nacional.

Veja também: Atlas Renewable Energy anuncia US $ 152 milhões para o financiamento de três usinas de energia solar no Brasil

Sobre Bruna Fiorani

Brasileira, casada, Técnica em Logística, concluinte do curso de Administração na FeMASS (Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos), com conhecimento intermediário da língua inglesa e fotógrafa.