Início Diesel subiu 67,88% em seis meses, transportadoras não aguentam segurar preços defasados após reajustes da Petrobras. Combustível corresponde a até 50% do custo final dos produtos!

Diesel subiu 67,88% em seis meses, transportadoras não aguentam segurar preços defasados após reajustes da Petrobras. Combustível corresponde a até 50% do custo final dos produtos!

24 de junho de 2022 às 11:28
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Diesel subiu 67,88% em seis meses e transportadoras não aguentam segurar preços defasados após reajustes da Petrobras. Combustível corresponde a até 50% do custo final dos produtos! - Canva
Diesel subiu 67,88%, sua variação é assustadora – Canva

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de S. Paulo e Região (SETCESP), o valor do diesel teve aumento de ao menos 68% em seis meses no estado de São Paulo (SP).  Os impactos sobre a logística e transporte prometem ser expressivos  após o aumento de 15% da Petrobras, anunciado na semana passada, dia 17 de junho. 

O sindicato afirma que até 50% do preço dos produtos está relacionado ao valor pago no frete e, como consequência, tem relação ao preço dos combustíveis. Conforme afirmado pela instituição, os aumentos realizados pela estatal não fazem sentido, visto que o preço do dólar vem se mantendo estável nos últimos dias. Na quinta-feira, 23 de junho, a moeda norte-americana fechou o pregão cotada a R$ 5,24. 

Artigos recomendados

Petrobras afirma que o valor do diesel estava defasado para o mercado 

O argumento da Petrobras é que o diesel está defasado para o mercado e, se não houvesse um novo reajuste neste mês de junho, corriam o risco de desabastecimento por causa da elevada busca externa. 

Depois do anúncio em relação ao aumento, o presidente da estatal, Marcos, decretou que estaria renunciando ao cargo. Ele vem recebendo duras críticas de Jair Bolsonaro e de Arthur Lira, presidente da Câmara, sobre a sua candidatura “não ser legítima”. O anúncio sobre a renúncia aconteceu na segunda-feira, 20 de junho, depois da repercussão negativa na mídia. 

A marca nacional no valor do diesel está em R$ 6,88, afirma o sindicato por intermédio de coletiva de imprensa. O valor da gasolina é ainda maior, estando a R$ 7 em ao menos vinte estados. Em Santa Catarina (SC), já é negociada a mais de R$ 8,5 e pode chegar a R$ 10 nas bombas – tanto que os postos de combustível já têm autorização, desde o ano de 2021, para alterar as bombas para dois dígitos. 

Transportadoras afirmam que  preços do frete aumentaram depois do novo aumento para que não fiquem ultrapassados 

Inúmeras transportadoras já anunciaram o desejo de realizar o aumento do preço do frete como forma de garantir que não terão prejuízo no balanço logístico com as instabilidades do diesel. De acordo com analistas, não há mais como não repassar estes reajustes para o consumidor, visto que o mercado está absorvendo grande volatilidade do brent. 

A alta do petróleo em 2022 tem uma série de motivos. Entretanto, um dos principais deles é a guerra que acontece entre a Rússia e a Ucrânia. Os Estados Unidos decretaram bloqueio contra os russos e impedem que países parceiros façam a compra de petróleo. Dessa forma, os números de exportações de outros países aumentaram com maior busca enquanto os russos têm estoques sem negociar.  Os valores dispararam ao modo que colocaram em risco a inflação dos EUA. Joe Biden, como forma de recompensar a  sua decisão e não prejudicar os norte-americanos, abordou sobre a possibilidade de voltar a comprar petróleo da Venezuela. A União Europeia também aborda sobre esta possibilidade, como forma dos venezuelanos pegarem a sua dívida externa. 

Não é somente o Brent que influencia sobre o valor dos combustíveis no Brasil, como também o preço do dólar, que voltou a ser cotado acima de R$ 5 mesmo com os aumentos constantes do Ministério da Economia sobre a Selic. A Selic é a taxa utilizada para determinar os juros básicos no país e, assim sendo, controlar a inflação em momentos de crise. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes