China desenvolve o vidro mais resistente do mundo, batizado de AM-III, que é duas vezes mais duro que diamante e pode ser utilizado em painéis solares

Valdemar Medeiros
por
-
16-08-2021 13:10:27
em Energia Renovável
China - vidro - diamante - painéis solares AM-III deve ser utilizado em células para painéis de geração de energia solar. Imagem: Diyana Dimitrova/Shutterstock

China, famosa por suas pontes de vidro, agora desenvolveu um vidro que tem a capacidade de ser duas vezes mais duro que diamante e pode ser utilizado em painéis solares. O material possui carbono amorfo, é ultraduro, ultraforte e ainda é semicondutor

Sabe-se que a China é famosa por suas pontes de vidro e você provavelmente já deve ter escutado que o diamante é um dos materiais mais duros da natureza, sendo quase impossível quebra-lo. Agora imagine duas vezes essa dureza. Esse foi feito realizado por cientistas da China, que desenvolveram o vidro mais resistente do mundo, podendo ser utilizada em painéis solares, conheça o vidro AM-III.

Leia também

Entenda como é produzido o vidro mais resistente que diamante

O vidro mais seguro do mundo SILATEC

Na escala de dureza Vickers, o vidro criado pelos pesquisadores da China atingiu 113 gigapascais, ultrapassando os diamantes, que conseguem chegar a um número entre 50 a 70 gigas pascais. O vidro foi criado Shuangshuang Zhang e seus parceiros da Universidade Yanshan, por meio de moléculas de carbono tridimensionais, conhecidas como fulerenos.

Entretanto, o novo vidro necessita de um processo mais demorado que os comuns, sendo necessário que os fulerenos sejam triturados, para depois chegarem a condições de pressão e resfriamento adequadas. Essas condições encontradas pelos pesquisadores da China foram de 25 GPa e 1.200º durante cerca de 12 horas, para que então, o vidro mais duro que diamante seja produzido sinteticamente e brevemente utilizado em painéis solares.

O material é considerado um vidro por ser amorfo, seus átomos de carbono ficam desordenados e não podem assumir uma rede cristalina de longo alcance. É devido a isso que o vidro criado pelos pesquisadores também pode ser um semicondutor, com uma eficiência próxima à do silício.

Vidro mais duro que o diamante pode ser utilizado na criação de painéis solares

De acordo com um dos pesquisadores, Tian Yongjun, o surgimento deste tipo de material de carbono amorfo, ultraduro, semicondutor e ultraforte, se apresenta como uma ótima opção para aplicações práticas mais exigentes no mercado de energia solar.

A análise publicada pelos pesquisadores na revista científica Nacional Science Review informou que o vidro é inquebrável. Atualmente, o material visa ser utilizado em painéis solares, devido sua alta resistência e baixo desgaste.

Os cientistas envolvidos no projeto também afirmam que o AM-III conta com propriedades de absorção de energia que podem ser comparados aos semicondutores que são usados em células de energia solar atualmente. O Material, que ainda está em fase de desenvolvimento e estudos, ainda pode se tornar mais duro ao aumentar a ordem dos átomos e moléculas, mas em decorrência disso, acabará perdendo sua condutividade.

A importância do vidro para a construção civil

Apesar de tudo, o vidro desenvolvido na China poderá também revolucionar o setor de construção civil, tendo em vista que o material é de suma importância nas edificações.

Os vidros comuns já possuem várias utilidades e há no mercado diversas opções, porém que podem não superar o AM-III, principalmente, se ele vier ao mercado com um preço acessível.

Com a utilização do novo vidro em janelas ou até mesmo em portas, haverá uma iluminação solar maior no ambiente sem perder a segurança, gerada pela dureza do material. Além disso, podem ser produzidas telhas para locais mais afastados de saídas, podendo trazer a luz solar ao ambiente e com certeza gerando uma economia maior para a residência, visto que não será necessário utilizar luz elétrica.

Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.
fwefwefwefwefwe