Carnaval: muitos trabalhadores perderão o emprego por emitir atestado falso e postar fotos em redes sociais

Carnaval: muitos trabalhadores perderão emprego por emitir atestado falso e postar fotos em redes sociais Carnaval: muitos trabalhadores perderão emprego por emitir atestado falso e postar fotos em redes sociais

Muitos perderão emprego! Empresas estão de olho nos “espertinhos” que deram atestado falso no carnaval e postaram fotos em redes sociais caindo na folia!

Carnaval: através de postagens do próprio empregado em redes sociais, empresas têm observado que funcionários apresentaram atestado falso, pois, condutas publicadas na internet não condizem com as licenças médicas apresentadas. Para tudo!  11,5 mil vagas de emprego para atender demanda em obras de construção civil em rodovias, ferrovias e gasodutos.

Leia também

Para curtir a folia de Carnaval sem ter cortes no salário, trabalhadores têm se arriscado e entregam aos patrões atestado médico falso e verdadeiros, porém com sintomas forjados. E essa prática deve levar à demissão de, pelo menos, dois mil empregados no ES este ano.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), a quantidade de atestado apresentado depois deste feriado cresce em até 20%. Apesar de algumas pessoas realmente estarem inaptas para o trabalho e utilizarem o documento para justificar a ausência, outras se aproveitam para ter mais uns dias de folga através de atestados falsos.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Estado e vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos, Otto Fernando Baptista, disse que as queixas que lideram os afastamentos são: gastroenterite, cólica renal, infecção urinária, cefaleia, lombalgias e conjuntivites.

Lembrando que, segundo advogados trabalhistas, o Carnaval não é um feriado. Em alguns casos são estabelecidas normas específicas quanto aos dias de folia em convenções coletivas de trabalho ou legislações municipais. Há cidades que decretam ponto facultativo (válido para servidores públicos).

Especialistas indicam que, nesse caso, o profissional deveria usar o bom senso e maturidade e fazer a sua programação sem desrespeitar as normas da empresa.

Os principais motivos são apresentação de atestado falso, simulação de sintomas para conseguir um atestado verdadeiro e excesso de bebida, o que inclui até comparecimento ao trabalho sob efeito de álcool durante o Carnaval ou na Quarta-feira de Cinzas.

O atestado falso muito comum em cargos operacionais, especialmente por funcionários do sexo masculino.

Consequências

O profissional que faltar ao trabalho sem uma justificativa válida poderá ser demitido por justa causa. Se demitido por justa causa, o funcionário perde uma série de direitos como aviso prévio, férias proporcionais, 1/3 de férias, 13º salário proporcional, multa de 40% do FGTS e seguro-desemprego.

Especialistas indicam que, nessa situação, é levado em consideração o histórico disciplinar do trabalhador, ou seja, se costuma fazer isso com frequência.

Além da demissão, empregados que apresentarem atestados falsos poderão responder criminalmente por fazer uso de documento falso. A pena prevista é de um mês a um ano de detenção.

Já o médico que emitiu o atestado falso pode responder por Falsidade de Atestado Médico, conforme os artigos 302 e 304 do Código Penal. A pena também é de um mês a um ano de detenção.

 

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.