Campos de petróleo da Petrobras recebem propostas da PetroRio e Karoon Energy

Petrobras Karoon Petrorio venda de campos petróleo

A brasileira PetroRio SA e a australiana Karoon Energy Ltd estão entre as licitantes de um campo petrolífero de águas rasas da Petrobras, de acordo com duas fontes que preferem ficarem anonimato. Estes ativos postos a venda fazem parte de um ambicioso programa de desinvestimento da estatal

Com uma produção de petróleo de cerca de 34.000 barris por dia, o campo de Bauna na Bacia de Santos, no Brasil, está entre os maiores ativos de produção maduros do portfólio de desinvestimento de US $ 26,9 bilhões da Petrobras. Embora as fontes não revelassem um valor potencial, a PetroRio havia anteriormente feito uma oferta de cerca de US $ 500 milhões pela Bauna em 2016, que acabou não sendo bem-sucedida. Os preços do petróleo LCOc1 CLc1 aumentaram moderadamente desde então.

Os clusters Pampo e Enchova, um pouco mais produtivos, na Bacia de Campos adjacente, que estão sendo vendidos juntos, foram considerados ofertas de cerca de US $ 1 bilhão em junho.

A Karoon e a Petrobras se recusaram a comentar. A PetroRio não respondeu a um pedido de comentário.

Uma das fontes disse que outros licitantes estiveram envolvidos no leilão que fechou no final do ano passado, e foi possível que nem a PetroRio nem a Karoon emergissem como a vencedora da concessão prevista para durar até 2040. A Petrobras poderia entrar em negociações exclusivas com uma das empresas. licitantes em questão de semanas, disseram as fontes.

Esta é a segunda vez que a PetroRio e a Karoon tentam comprar a Bauna.

A Karoon entrou em negociações exclusivas em 2016 para comprar a Bauna, bem como o campo da Tartaruga Verde, que recentemente começou a produzir, embora esse processo tenha sido cancelado após uma liminar judicial.

A Karoon naquele momento venceu a oferta de US $ 500 milhões da PetroRio, que era voltada estritamente para a Bauna.

Para a PetroRio, o ativo se encaixa bem com a estratégia da empresa de petróleo independente de adquirir participações em campos de petróleo maduros para aumentar sua produtividade.

Para a Karoon, que disse que continua interessada em Bauna, o ativo apresentaria sinergias significativas com as descobertas de petróleo Kangaroo e Echidna nas proximidades.

A Petrobras está cortando suas participações em águas rasas e campos maduros para reorientar seus esforços no promissor jogo de pré-sal em águas profundas do Brasil.

Há alguma incerteza jurídica pairando sobre a alienação de Bauna. Em dezembro, um juiz da Suprema Corte suspendeu as vendas de ativos de exploração e produção pela Petrobras, mas a empresa disse posteriormente acreditar que a decisão se aplicava apenas aos processos iniciados em maio ou depois.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.