Início Câmara dos Deputados pede papel mais ativo do Governo para reduzir preços dos combustíveis da Petrobras e propõe MPs contra estatal

Câmara dos Deputados pede papel mais ativo do Governo para reduzir preços dos combustíveis da Petrobras e propõe MPs contra estatal

22 de junho de 2022 às 11:32
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, se reuniu com representantes do órgão para pedir papel mais ativo do Governo contra os altos preços dos combustíveis e sugere aplicação de MPs contra a Petrobras para isso acontecer.
Foto: Canva

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, se reuniu com representantes do órgão para pedir papel mais ativo do Governo contra os altos preços dos combustíveis e sugere aplicação de MPs contra a Petrobras para isso acontecer.

Durante a última segunda-feira, (20/06), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reuniu líderes dos partidos governistas e de oposição para discutir os altos preços dos combustíveis cobrados pela Petrobras atualmente. Além disso, o executivo também pediu um papel mais ativo do Governo Federal e sugeriu a aplicação de Medidas Provisórias, as chamadas MPs, contra a estatal para mudar a política de preços atual da empresa.

Política de preços dos combustíveis da Petrobras é criticada pela Câmara dos Deputados, que sugere aplicação de MPs para conter cenário atual no Brasil

Após mais um aumento nos preços dos combustíveis realizado pela Petrobras durante a última semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, agora discute a necessidade de um posicionamento mais rígido do Governo Federal para manter os valores dos recursos.

Artigos recomendados

Isso, pois o governo Bolsonaro não tem tomado medidas necessárias para conter os avanços no aumento dos preços, realizados constantemente durante os últimos meses pela estatal. 

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

E, embora a reunião com os representantes dos partidos opositores e de base tenha sido inconclusiva na Câmara dos Deputados, o presidente do órgão solicitou medidas necessárias do Governo. Para isso, Arthur Lira defendeu a adoção de MPs para mudar a política de preços da empresa, acabar com a preferência da companhia nos leilões do pré-sal e alterar as regras para composição dos conselhos de administração previstas na Lei das Estatais.

Todas essas medidas poderiam contribuir para que a estatal não continue a aumentar os preços dos combustíveis no Brasil, prejudicando o consumidor final. 

Outra ideia colocada para discussão com os representantes da Câmara dos Deputados foi o aumento dos impostos sobre o setor de petróleo e gás natural no Brasil, mas a ideia foi deixada de lado pelos representantes.

Agora, novas reuniões serão realizadas para debater o tema, segundo Vinícius Carvalho (SP) que afirmou: “Amanhã [hoje] acontecerá outra reunião com técnicos do governo e líder do governo para avaliar a medida legislativa mais eficaz”. Lira segue otimista quanto aos encontros e ressaltou: “Há sentimento quase que unânime de todos os líderes de que o Ministério da Economia e o governo federal tem que ter atuação mais direta”.

Além de MPs sugeridas pela Câmara dos Deputados, Governo Federal estuda novas medidas para controlar a alta nos preços dos combustíveis causada pela estatal

Embora a sugestão de Arthur Lira sobre a utilização de MPs para realizar um controle interno na Petrobras e impedir a tomada de novas decisões que acarretem aumento dos preços dos combustíveis, essa parece uma medida não tão eficiente a longo prazo.

Para isso, o Governo Federal estuda, com a Câmara dos Deputados, a tomada de novas decisões que possam controlar essa crescente nos valores desses recursos no Brasil. 

E, dentre as alternativas estudadas pelo governo, a principal atualmente é a diluição da participação da União na estatal por meio da privatização da Petrobras. Assim, o Executivo avalia propor a conversão das ações preferenciais da estatal em ordinárias e, dessa forma, a União deixaria de ser controladora da empresa. Dessa forma, a empresa seria controlada totalmente pela iniciativa privada, o que, segundo os representantes do governo, poderia causar uma estabilização nos preços dos combustíveis. 

Agora, Arthur Lira e a Câmara dos Deputados aguardam novas reuniões com os representantes do governo para possíveis conclusões em relação ao que será feito para contornar a situação crítica que o Brasil enfrenta atualmente quanto aos preços dos combustíveis.

Relacionados
Mais recentes