Início Briga e xingamentos na Halliburton Macaé : Sindicato impede petroleiros de entrar na empresa

Briga e xingamentos na Halliburton Macaé : Sindicato impede petroleiros de entrar na empresa

25 de abril de 2018 às 17:53
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Sindipetro Halliburton Macaé

Vídeo impressionante enviado por seguidores mostram o confronto entre o SindipetroNF e trabalhadores da Halliburton.

Funcionários da Halliburton foram literalmente impedidos de trabalhar ontem( 24 de abril de 2018) pelo movimento sindical SindipetroNF em Macaé, por demissaões em 2017 de funcionários que aderiram a greve naquele época e  desencadeados pela prisão de Lula e agravados pela decisão da Petrobras de privatizar algumas de suas refinarias. O movimento fechou a entrada da empresa entre o período da manhã e a parte da tarde, trabalhadores que estavam precisando embarcar praticamente suplicavam para entrar, o Sindipetro não atendeu as apelações  deles, o resultado foi este ai no vídeo abaixo:

Todos e qualquer movimento tem o seu valor, isto sempre existiu e faz parte de uma estado democrático, mas o direito de uma pessoa de ir é um direito e restringi-lo fere princípios básicos da constituição. Há pessoas que precisam seguir com suas vidas e levar o sustento para às famílias. No vídeo, ficou claro a angustia de alguns funcionários precisando embarcar para cumprir suas metas e/ou tarefas na empresa, muitos deles ganham por diária abordo da unidade.

Refinarias que serão vendidas

Refinaria Abreu e Lima e a Landulpho Alves. No Sul, a Petrobras quer transferir o controle acionário da Refinaria Presidente Getúlio Vargas e da Alberto Pasqualini. Juntas, as quatro refinarias têm capacidade de processar 846 mil barris por dia. Ao todo, a estatal tem 13 refinarias e detém 99% da capacidade de refino do país. O presidente da estatal, Pedro Parente, comentou que a venda deve começar neste ano e pode ser concluída no ano que vem.


Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.


Facebook
Facebook

Twitter
Twitter

LinkedIn
LinkedIn

YouTube
YouTube

Instagram
Instagram

Telegram
Telegram

Google News
Google News

Relacionados
Mais recentes