Início Brasileiros criam fogão movido a energia solar que dispensa o uso de gás de cozinha

Brasileiros criam fogão movido a energia solar que dispensa o uso de gás de cozinha

26 de maio de 2022 às 11:30
Compartilhe
Siga-nos no Google News
fogão movido a energia solar - Energia solar - fogão - gás de cozinha - botijão de gás
O fogão foi testado e teve ótimo desempenho – Foto: BBC

Pesquisadores brasileiros desenvolveram um fogão que dispensa o gás GLP, popularmente conhecido como gás de cozinha. O equipamento é movido por energia solar e consegue se igualar ao convencional.

Nos momentos de crise, a criatividade dos brasileiros se mostra essencial para que os desafios sejam superados, tendo em vista que não há melhor momento para repensar o consumo e gerar economias. Com o valor do gás de cozinha nas alturas, pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), desenvolveram um fogão movido a energia solar. É importante destacar que o valor do botijão está com um acúmulo de altas em 12 meses que chega a 32,45%. Em algumas localidades o gás de cozinha pode custar até R$ 160 reais.

Fogão movido a energia solar é feito com materiais descartáveis e de baixo custo

Os brasileiros sofrem com o empobrecimento, tendo em vista que não é só o valor do gás de cozinha que está nas alturas. De acordo com o IBGE, atualmente o país conta com aproximadamente 13,9 milhões de desempregados.

Artigos recomendados

Desse modo, o desenvolvimento de um fogão que utiliza a energia solar, uma fonte gratuita que é renovada a cada dia e que se tem de sobra no Brasil, é uma ótima opção para driblar a crise e superar o momento de adversidades. Além de dispensar o uso do gás de cozinha, o fogão é composto por materiais descartados ou de baixo custo, como espelhos e sucatas.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Segundo os inventores, para a produção do protótipo, foram gastos apenas R$ 150. Além disso, apesar da queima do gás de cozinha seja considerado uma queima limpa, isto é, sem nenhuma emissão de poluentes, há opções que são ainda mais sustentáveis, como esta desenvolvida pelos pesquisadores da UFRN, tendo em vista que além de aproveitar uma energia sustentável, também utilizam materiais que talvez não fossem reciclados.

Sendo assim, a iniciativa contribuiu ainda mais com o meio ambiente, tornando o fogão que utiliza energia solar, uma ótima opção, caso chegue de fato ao mercado.

Entenda funciona o fogão que dispensa o gás de cozinha

Fogão solar é solução contra alta do preço do gás de cozinha – Reprodução/Youtube

O funcionamento do fogão movido a energia solar utiliza alguns princípios básicos da física para o funcionamento. Basicamente, o equipamento capta a luz solar, transforma a radiação do sol em calor, e gera uma espécie de efeito estufa, utilizando o calor para assar os alimentos.

Já foram desenvolvidas invenções semelhantes, entretanto, o grande diferencial deste fogão desenvolvido pelos pesquisadores da UFRN é que este conta com isolantes térmicos que impulsionam o tempo de preparo dos alimentos, podendo ser comparados com o tempo de um fogão convencional.

Em testes realizados pelos desenvolvedores do fogão, o equipamento conseguiu atingir uma temperatura de 650ºC e também foi capaz de assar um bolo em uma hora e meia. Este tempo consegue ser apenas 20 min a mais do que um fogão convencional, que utiliza gás de cozinha. 

Fogão movido a energia solar pode ser comprado pela maioria dos brasileiros

O projeto é uma iniciativa do laboratório de máquinas hidráulicas do curso de engenharia mecânica da universidade e quem está à frente da pesquisa é Luiz Guilherme Meira de Souza, professor que estuda energia solar há mais de 4 décadas.

De acordo com o TCC do projeto, os processos de montagem e desmontagem do fogão, assim como seu manuseio são simples e os usuários precisam apenas de um treinamento rápido, onde qualquer cidadão comum pode operar.

Sendo assim, agora o que falta para o fogão movido a energia solar chegar a um nível comercial é encontrar investidores para que seja viável a produção em grande escala. Em uma entrevista, o professor coordenador afirma que deseja fechar uma parceria com os governos dos estados, para que o equipamento esteja ao alcance dos necessitados também.

Relacionados
Mais recentes