Bacia de Sergipe deve receber perfurações da ExxonMobil já em 2020

Bacia de Sergipe e os negócios

Depois de adquirir três blocos no leilão da última terça-feira (10/09), a ExxonMobil já planeja perfurar seus primeiros poços na promissora Bacia de Sergipe

Mal a ExxonMobil, líder do consórcio com a Enauta e Murphy Oil, adquirir três novas concessões na Bacia Sergipe-Alagoas, no leilão da oferta permanente organizado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), na última terça-feira, a empresa já anunciou a intenção de começar a perfurar seus primeiros poços nas águas profundas da região a partir de 2020.
Vale lembrar que a Bacia Sergipe-Alagoas guarda as maiores reservas brasileiras desde a descoberta do pré-sal e é peça chave no planejamento do governo para alavancar o programa Novo Mercado do Gás.

Com as novas aquisições na Bacia Sergipe-Alagoas, a ExxonMobil (50%), Enauta (30%) e Murphy Oil (20%) passam a ter juntas nove blocos na região, igualando-se a Petrobras.
No mês passado, a Enauta já havia informado que um programa de perfuração na bacia está previsto para começar a partir do segundo semestre de 2020.

Bacia promissora

Em junho a Petrobras anunciou a maior descoberta depois do Pré-sal na Bacia de Sergipe-Alagoas, envolvendo seis blocos exploratórios (Cumbe, Barra, Farfan, Muriú, Moita Bonita e Poço Verde) e o primeiro óleo está previsto para 2023.

Para arrecadar recursos a fim de realizar os investimentos necessários na bacia, a empresa está se desfazendo de algumas de suas participações na região.

Com a ExxonMobil fazendo da Bacia Sergipe-Alagoas seu principal foco no Brasil, tudo leva a crer que as explorações na região vão andar em ritmo acelerado, até mesmo pelo alto grau de interesse que os ativos estão despertando em outras empresas do mercado.
A Enauta (Ex-Queiroz Galvão Exploração e Produção) está na região desde 2015 quando adquiriu duas concessões no local, na 13ª Rodada de blocos exploratórios da ANP.

Leia também ! Exploração de petróleo no Rio Grande do Norte gera R$ 18,2 milhões em investimentos !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)