Em leilão da ANP hoje (10/09), Exxon, Enauta e Murphy acabam de arrematar blocos exploratórios

ANP vende na bacia de Sergipe

Leilão da ANP está acontecendo hoje, terça-feira 10 e setembro e consórcio formado pelas petroleiras Exxon, Enauta e Murphy já gastou R$ 7,8 milhões.

Os primeiros blocos exploratórios no leilão da Oferta Permanente da ANP, que está sendo realizado hoje (10), no Rio de Janeiro, já foram arrematados. E por falar em leilão, a ANP publica edital do Megaleilão da cessão onerosa e agita o mercado.
O consórcio formado pela ExxonMobil (50% e operação), Enauta (30%) e Murphy (20%) acaba de adquirir os blocos SEAL-M-505, SEAL-M-575 e SEAL-M-637 e o valor total pago atingiu R$ 7,8 milhões.

Só pelo bloco SEAL-M-575, a oferta foi de R$ 3,1 milhões, pelo bloco SEAL-M-505, o consórcio pagou R$ 2,7 milhões e pelo SEAL-M-637, o valor ofertado foi de R$ 2 milhões.
As áreas fazem parte do bloco SSEAL-AUP2, na Bacia de Sergipe e estão sendo ofertados pela ANP como parte da primeira rodada da Oferta Permanente.

O leilão organizado pela ANP está acontecendo hoje (10/09) no centro do Rio de janeiro e está tendo a participação de 47 empresas interessadas.
Ao todo a ANP está vendendo 73 blocos exploratórios, localizados nas bacias de Parnaíba, Potiguar, Recôncavo (terra), Sergipe-Alagoas (terra e mar) e Campos (mar).

A estes blocos soma-se 14 áreas com acumulações marginais, nas bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo e Sergipe-Alagoas (terra).
Até o momento Os blocos dos setores SC-AR4, na Bacia de Campos; e SSEAL-AP1 e SSEAL-T3, na Bacia de Sergipe-Alagoas, não receberam lances.

O leilão

Nos termos do Artigo 4º da Resolução CNPE nº 17, de 08 de junho de 2017, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), aprovou o processo de oferta permanente de áreas.

O processo de oferta permanente consiste na oferta contínua de campos devolvidos (ou em processo de devolução) e blocos exploratórios ofertados em licitações anteriores e não arrematados ou devolvidos à agência.

Leia também ! O mercado do Petróleo pode não ter só uma empresa, mas várias, segundo o ministro Paulo Guedes !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)