Agência Nacional do Petróleo (ANP) faz operação conjunta no Rio de Janeiro para apurar denúncias em postos de combustíveis; 17 bicos foram lacrados

Fábio Lucas
por
-
09-04-2021 16:42:33
em Petróleo, Óleo e Gás
Foto: ProconRJ / Postos de combustíveis Foto: ProconRJ / Postos de combustíveis

A Agência Nacional do Petróleo fez parte de uma força tarefa nesta semana para averiguar denúncias em postos de combustíveis no Rio de Janeiro

A Agência Nacional do Petróleo (ANP), teve a ajuda do Inmetro, Ipem-RJ e a polícia civil realizaram nesta semana uma força-tarefa para fiscalizar o gigante mercado de combustíveis no estado do Rio de Janeiro. Ao todo, seis postos de combustíveis foram fiscalizados no Rio de Janeiro. Postos nos bairros de Andaraí, Bonsucesso, Botafogo, Rio Comprido, Vista Alegre e Pilares foram fiscalizados. A operação começou na última segunda-feira, terminando hoje, sexta-feira.

A operação serviu para averiguar denúncias feitas por consumidores nos estabelecimentos. Além disso, os profissionais averiguaram a qualidade do combustível vendido nestes postos. A força tarefa teve a presença de vários órgãos para cada um deles averiguarem um determinado ponto dos postos de combustíveis.

Agência Nacional do Petróleo (ANP) encontrou vários problemas

A ANP foi a responsável por verificar a documentação dos postos de combustíveis, além das resoluções e a qualidade do combustível vendido no estabelecimento. Porém, para a felicidade dos consumidores na região, o ANP não encontrou nenhuma infração relacionada a qualidade dos combustíveis vendidos nos locais. Porém, foram apresentadas seis notificações por não apresentação das notas fiscais, além de 14 coletas de combustíveis para uma analise em um laboratório.

17 bicos nos postos de combustíveis foram lacrados

Já o Inmetro foi a responsável por analisar a quantidade de combustível fornecida por cada bomba. Além disso, o funcionamento correto das bombas foi analisado pelo órgão. Aqui 17 bicos foram interditados por conta de fornecimento incorreto se comparado com o que é mostrado na bomba. Esses 17 bicos estavam em 4 postos de combustível diferente. O Procon fez uma analise do direito do consumidor e o cumprimento do  Decreto da Transparência (Decreto nº 10.634/2021).

No total foram encontrados muitos problemas nestes postos de combustíveis. Bombas adulteradas, lacre violado, mas parecendo estar intacto e lacres que possibilitam ajustes manuais na quantidade combustível. Além disso, um dos postos foi impedido de comercializar bebidas por conta de condições inadequadas.

Denúncias sobre irregularidades no mercado de combustíveis podem ser encaminhadas à ANP pelo Fale Conosco ou por ligação gratuita pelo telefone 0800 970 0267. As denúncias são fundamentais para os órgãos manterem seguros os clientes. Além do risco para as pessoas, o combustível adulterado poderão gerar grandes problemas para os veículos que forem abastecidos com ele.

Tags:
Fábio Lucas
Jornalista brasileiro, amo esportes, notícias e política. Já contribui em diversos outros portais relacionados a esportes, economia e informações regionais.
fwefwefwefwefwe