Zona Franca de Manaus terá nova fábrica na produção de componentes para celulares e computadores. Cerca de R$ 237 milhões serão investidos e 150 novos empregos serão abertos

Roberta Souza
por
-
26-07-2021 20:51:23
em Economia, Negócios e Política
Fábrica – empregos – produção Placa de eletrônico/ Fonte: TeleSíntese

A nova fábrica será construída pela multinacional Smart Modular Technologies. A expectativa é que a produção deva gerar até 150 empregos

A cidade de Manaus foi escolhida para o início das operações da quarta fábrica da multinacional Smart Modular Technologies no Brasil. Em outubro deste ano, o PIM (Polo Industrial de Manaus), contará com a produção de componentes para celulares e computadores. Os investimentos estão orçados no valor de R$ 137 milhões, em três anos. A expectativa é que a produção deva gerar até janeiro de 2022, 150 empregos. Veja ainda: 14,7 bilhões de reais e 10 mil empregos devem ser gerados durante as obras de nova fábrica da Suzano, considerada a maior linha única de produção de celulose do mundo

Os detalhes da fábrica que será instalada em Manaus

O presidente e fundador da empresa que instalará uma fábrica em Manaus, Rogério Nunes diz que os planos vislumbram crescimento. Ele enfatiza que em 2020, o volume de computadores que utilizaram os módulos de memória da fabricante, chegou a 6,9 milhões. “Em 2021 esse número deverá alcançar o total de 8,1 milhões. Atenderemos a tecnologia 5G e às demais demandas relacionadas à conectividade”.

Ainda conforme o presidente, a maior parcela do saldo de R$137 milhões será aplicada de imediato na instalação da fábrica em Manaus e no início das operações. Outro investimento previsto pela Smart Brasil é de R$10 milhões ao ano. O valor será destinado, a partir de outubro deste ano, ao segmento de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). “Os trabalhos acontecerão em parceria com um instituto de pesquisa da região, voltados ao desenvolvimento/melhorias de produtos e processos”, afirma ele.

Diversos investimentos no estado do Amazonas

Na opinião do vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, a decisão dessas empresas se instalarem e investirem no PIM, demonstra que os empresários acreditam no modelo Zona Franca de Manaus. “Apesar de alguns sinais dissonantes emitidos por Brasília e que causam insegurança jurídica, os empresários estão confiantes para continuar com seus projetos na região. Outro fator que nos alegra, são os projetos de implantação. São novos produtos ou novas empresas que estão aportando investimentos no Polo Industrial e que sinalizam a ampliação dos empregos”, comemora.

Ele diz que o segmento acredita na retomada do crescimento econômico e na ampliação dos negócios na Zona Franca de Manaus. “Vamos ficar vigilantes para manter essa atratividade da região e avançar nesse projeto de desenvolvimento”.

Confira ainda: Nova fábrica da Philco começa a ser construída no Espírito Santo. A unidade de R$ 200 milhões poderá gerar 1.500 empregos

A empresa de eletrodomésticos Britânia, detentora da marca americana Philco no Brasil, deu início às obras da nova fábrica no município de Linhares, localizado no norte do estado do Espírito Santo. O investimento é de aproximadamente R$ 200 milhões e prevê gerar cerca 1.500 empregos diretos inicialmente, podendo chegar até duas mil contratações.

O prefeito da cidade o norte do Espírito Santo, Guerino Zanon, fez o anuncio do início das obras através de uma rede social. “É com prazer que anunciamos o início do maior projeto fabril do Espirito Santo. A fábrica da Britânia /Philco começa a ser construída na nossa cidade, Linhares, com 70.000 m2 de piso de fábrica e que irá gerar mais de 2.000 empregos diretos para os capixabas”, disse.

De acordo com Zanon, foram quatro anos de muitas viagens entre Curitiba e Linhares. E o resultado, quando a relação com empresários e setor público é tratada com confiabilidade entre as partes, é o sucesso, finalizou o prefeito agradecendo sobre a instalação da nova fábrica, no estado do Espírito Santo. Além de promover a geração de empregos aos trabalhadores da região e, assim, garantir o desenvolvimento econômico do município, a prefeitura acredita que a fábrica vai ter um impacto positivo na economia de todo o Espírito Santo.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe