Início Usinas de biomassa de Capivari do Sul e Uruguaiana, para produção de energia limpa, terão suas construções iniciadas até o mês de março de 2023

Usinas de biomassa de Capivari do Sul e Uruguaiana, para produção de energia limpa, terão suas construções iniciadas até o mês de março de 2023

27 de julho de 2022 às 18:11
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Usinas, biomassa, energia
Foto: reprodução www.pexels.com

Projetos de usinas de biomassa para produção de energia limpa são semelhantes à usina de São Sepé, inaugurada em 2018

A construção de duas novas usinas de biomassa (matéria orgânica), para a produção de energia limpa, estão a um passo de serem iniciadas no Rio Grande do Sul. Uma dessas usinas será construída em Capivari do Sul e a outra em Uruguaiana, sendo ambas alimentadas com casca de arroz, de acordo com o site Jornal do Comércio.

Luiz Antônio Leão, diretor da empresa Enerbio, adianta afirma que uma das usinas de biomassa, a usina capivariense deve começar a ser construída no segundo semestre de 2022, com vistas para ser concluída até o final de 2023. Já as obras da usina de biomassa uruguaianense devem começar a ser desenvolvidas a partir do primeiro trimestre de 2023 com previsão de conclusão para meados de 2024.

Artigos recomendados

Juntas, as usinas de biomassa necessitam de um aporte de aproximadamente R$ 105 milhões. Como explica Leão, o papel da Enerbio nos empreendimentos é identificar o potencial, estruturar o plano de negócio, planejar um projeto de engenharia, firmar contratos com os fornecedores de casca de arroz e buscar a distribuição da energia gerada pelas usinas de biomassa.

“E aí a gente traz um investidor parceiro”, comenta o executivo. A companhia já esteve presente em uma ação semelhante com a usina de São Sepé, que teve a Creral, de Erechim, como a investidora principal, além de outros sócios minoritários. Essa usina entrou em funcionamento no ano de 2018.

Diferenças entre as usinas de biomassa de Capivari do Sul, Uruguaiana e São Sepé

Apesar de semelhantes, as três usinas que carregam a mesma companhia como “genitora”, possuem algumas diferenças entre si. Ao passo que a usina em São Sepé possui uma capacidade instalada para 8 MW de energia (suficiente para atender a uma cidade de 120 mil habitantes), as outras duas usinas, terão, individualmente, uma potência de 5 MW de geração de energia.

Outra diferença é o ambiente de comercialização da energia. A produção de energia da usina de São Sepé foi repassada em leilão para abastecer o sistema elétrico interligado brasileiro enquanto que as usinas de Capivari do Sul e Uruguaiana serão voltadas à geração de energia distribuída.

O diretor da Enebio comenta ainda que nessa modalidade de geração de energia das usinas, setores como redes de farmácias, postos de combustíveis ou supermercados, poderão adquirir uma parte da energia produzida.

Construção das novas usinas prevê geração de novos empregos

Com a construção das novas usinas, a previsão é de que elas gerem de 100 a 120 postos de trabalho durante seu desenvolvimento e depois, na sua operação, mais 25 a 30 empregos diretos e cerca de 50 indiretos. Já a previsão de consumo de casca de arroz gira em torno de 40 mil a 45 mil toneladas por ano, também para cada usina.

Investimentos no setor de energia através da biomassa aumentam em São Paulo

Entre o ano de 2018 até o ano de 2022, o Estado de São Paulo atraiu investimentos de cerca de R$ 5,8 bilhões em energia de biomassa. As informações são da Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo, Piesp, da Fundação Seade, onde consta que quase dois terços dos recursos são referentes a empreendimentos os quais a fonte de biomassa são resíduos da cana-de-açúcar, como bagaço, palha, vinhaça e/ou torta de filtro.

Pouco mais de R$ 1,7 bilhão estão relacionados aos resíduos sólidos urbanos depositados em aterros sanitários, sendo os outros R$ 503 milhões relacionados ao uso de resíduos florestais, especialmente pedaços de madeira.

Tendo em vista o montante dos investimentos, R$ 3,0 bilhões foram destinados à geração de energia elétrica e o restante do investimento foi destinado para a produção de biocombustíveis, ficando R$ 2,0 bilhões para a produção de etanol e R$ 773 milhões para a produção do biometano.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes