Usina termelétrica do Rio Grande do Sul pode voltar a funcionar e gerar novas vagas de emprego após cinco anos parada

Valdemar Medeiros
por
-
04-11-2020 12:42:03
em Usina e Agronegócio
Usina - termelétrica - Rio Grande do Sul Usina termelétrica de Uruguaiana no RS

Depois de permanecer 05 anos parada, a usina termelétrica do Rio Grande do Sul pode voltar a funcionar e gerar novas vagas de emprego  

A usina termelétrica Uruguaiana, situada no Rio grande do sul pode ser retomada ainda este mês de novembro. A usina termelétrica estava parada desde 2015. Com a chegada do inverno, o governo afirmou que precisará reativar a usina, uma vez que as usinas hidrelétricas são as principais fontes de energia das capitais brasileiras.  

Leia também

Usina de Uruguaiana deve aproveitar uma sobra de gás esperada na Argentina com o início do verão  

A paralisação da usina termelétrica do Rio grande do sul se deve a baixa demanda e dificuldades da AES tiete se consolidar no mercado de Gás, a usina termelétrica do Rio grande do sul foi ativada apenas para uma emergência no ano de 2015 depois de ter ficado anos parada em 2009.  

“A usina do Rio grande do Sul vai estar disponível para gerar com certeza durante o verão lá… até meados de março, abril, ela com certeza vai ter disponibilidade de gás, conforme fomos informados pela Saesa.

E depois tem que ver como vai ser o inverno na Argentina, como vai ser a demanda por lá”, explicou Faria. Tirando as usinas a óleo diesel e óleo combustível, todas as outras estão acionadas, todo o parque a gás natural. A expectativa é que pelo menos em novembro elas mantenham esse mesmo nível de despacho.

Venda da usina Uruguaiana

A AES Uruguaiana foi construída na década de 1990 e inaugurada em 2000. Para funcionar, a norte-americana AES, dona da usina na fronteira gaúcha, enfrentava a dificuldade de fornecimento de gás vindo da Argentina.  

A termelétrica AES Uruguaiana foi vendida para o grupo argentino Saesa Solución Energética. O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Retomada da Produção de Gás pela Termo Uruguaiana, deputado Frederico Antunes (PP) recebeu a confirmação sobre a venda em setembro através do CEO do Grupo AES Brasil, engenheiro Ítalo Freitas. Frederico aguardava a resposta para a negociação há 40 dias.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.