Estado do Rio Grande do Sul quer fazer gasoduto de 565 km

Rio Grande do Sul terá gasoduto de 565 Km

Busca de financiamento para gasoduto da Transportadora Sulbrasileira de Gás (TBS) foi o objetivo da viagem à Montevidéu pelo governador do estado

O governador do estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, está buscando financiamento para a construção de um gasoduto entre Uruguaiana e Porto Alegre e se reuniu com François Borit, representante encarregado do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) em montevidéu. O valor pleiteado pelo governador é de US$ 600 milhões.  O Gás Natural continua chamando a atenção e a ANP autorizou mais duas empresas a trabalharem no setor.

O projeto compreende um gasoduto entre Uruguaiana e Porto Alegre, projeto da Transportadora Sulbrasileira de Gás (TBS) e terá 565 km, fechando o anel no Cone Sul e que vai possibilitar o abastecimento dos mercados com gás natural argentino e brasileiro.

Segundo o governador do Rio Grande do Sul, com a construção do gasoduto, será possível trazer a o gás natural produzido na região de Vaca Muerta, na Argentina, para o Brasil.

“Discutimos a possibilidade de essa agência ser um banco de financiamento de projetos importantes, especialmente ligados ao gasoduto. Como o governo federal tem uma política agressiva na redução dos custos do gás no Brasil, trazer o gás da chamada Bacia de Vaca Muerta, na Argentina, ao Brasil, pode ser algo interessante e, por isso, estamos buscando os caminhos para isso”, declarou o governador.

Dona do gasoduto

A TBS tem como sócias a Petrobras, Ipiranga, Repsol e Total e o projeto completo do gasoduto no Rio Grande do Sul, compreende a fase 1 já implementada com dois trechos de 25 Km (nas extremidades) já construídos.
Na extremidade oeste, a conexão é com o gasoduto da Transportadora de Gás del Mercosur S.A (TGM) e na sua extremidade leste, com o gasoduto da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil, o Gasbol. O projeto total tem 615 Km.

Hoje a TBS tem contrato com a Sulgás, que distribui gás natural do Rio Grande do Sul, no lado de Uruguaiana, para suprimento à Usina Termelétrica de Uruguaiana e, no lado de Canoas, para transporte do gás boliviano, destinado ao Pólo Petroquímico do Sul.

Leia também ! Onshore terá investimentos de 40 Bilhões de Reais e criará 700 mil empregos !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)