Três companhias brasileiras e estrangeiras estão mirando a refinaria da Petrobras no estado do Paraná (Repar)

Kelly
por
-
21-09-2020 09:20:00
em Refinaria e Termoelétrica
Três grupos brasileiros e estrangeiras estão mirando a refinaria da Petrobras no estado do Paraná (Repar) Refinaria da Petrobras no Paraná

O grupo indiano Essar, Grupo Ultra e a Sinopec estão de olho na refinaria da Petrobras no Paraná e atentas ao julgamento do STF sobre o pedido de suspensão da venda das unidades de refino da estatal

Três grandes empresas tanto brasileiras como estrangeiras disputam a compra da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), da Petrobras no Paraná, são elas: o conglomerado indiano Essar, o Grupo Ultra e a multinacional chinesa Sinopec. A Petrobras abriu uma nova rodada de negociações com os envolvidos para recebimento de novas propostas. Petrobras anuncia venda da unidade de fertilizantes Araucária Nitrogenados (ANSA), no estado do Paraná.

Leia outras notícias

As companhias estão atentas ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) do processo de julgamento de uma liminar solicitada em julho pelo Congresso para impedir a venda pela Petrobras de suas refinarias, com a petição citando as refinarias da Bahia (RLAM) e do Paraná (Repar). Os desdrobamentos do caso deve se extender até dia 25 de setembro.

A Petrobras defende sua posição dizendo que a venda de suas refinarias está sustentada na imposição do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ao final do mês de julho, Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu parecer favorável à continuidade do processo de venda das refinarias da Petrobras.

O grupo indiano Essar, que tem operações de exploração na Índia e refino e distribuição de combustível no Reino Unido, é um candidato a comprar a refinaria do Paraná, bem como o Grupo Ultra, companhia brasileira que atua nos setores de distribuição de combustíveis controlado pela Ipiranga e Raízen (da Shell e Cosan) e a multinacional chinesa Sinopec.

Venda das refinarias da Petrobras

A estatal segue com seu programa de desinvestimento no Brasil. A expectativa é que oito refinarias da Petrobras sejam vendidas até o ano que vem, de acordo com o acordo com o Cade. Juntas, as unidades têm 1,1 milhão de capacidade diária de processamento de petróleo, cerca de 50% do parque de refino do país.

A Petrobras também detém diversos de ativos à venda, como campos de petróleo e gás, gasodutos, termelétricas e distribuidoras de gás. Além disso, a petroleira já demonstrou seu interesse em se desvicular da exploração e produção de petróleo onshore e em águas rasas.

Tags:
Kelly
Engenheira de Petróleo especialista em Eficiência Energética e pós-graduada em Engenharia Civil; Possui experiência em atividades na indústria petrolífera onshore. Entre em contato para sugestões de pauta, postar vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.