Início Tecnologia: 5G chega em Brasília trazendo mudanças tecnológicas

Tecnologia: 5G chega em Brasília trazendo mudanças tecnológicas

7 de julho de 2022 às 22:06
Compartilhe
Siga-nos no Google News
5G, tecnologia, Brasília
foto: torstensimon/fonte: pixabay

De acordo informações do edital do novo 5G, além de Brasília, outras capitais poderão também ser as primeiras a experimentarem a tecnologia

Na quarta-feira, 6, uma nova tecnologia chegou em Brasília, o chamado 5G. A capital federal foi a primeira cidade do Brasil que recebeu a tecnologia full 5G, que é a experiência completa desse sinal. Segundo informações de Moisés Moreira, conselheiro da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), as capitais, além de Brasília, que irão receber a nova tecnologia do 5G serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo. O plano é implantar o 5G em todas as capitais, além de Brasília, até 29 de setembro.

Atualmente, inúmeras cidades do Brasil, inclusive a capital federal, Brasília, utilizam o padrão Compartilhamento Dinâmico de Espectro (DSS, da sigla em inglês), que ainda que ofereça uma melhor qualidade, utiliza uma frequência que já existe do 4G, o que ocorre na maioria dos países, segundo a empresa responsável por analisar as métricas de desempenho de acesso à internet no mundo, a Ookla. Os países que utilizam integralmente a tecnologia de 5G mais avançada, são poucos.

Artigos recomendados

Hoje, o país que mais utiliza a velocidade 5G é a Coreia do Sul, que possui uma média de download de 406 megabits por segundo. A média da tecnologia do 4G é de 17,1 megabits por segundo.

A tecnologia 5G

A tecnologia 5G, que surgiu recentemente em Brasília, é uma nova tecnologia de transporte de dados em rede que envolve dispositivos móveis. Ela é a quinta geração com as gerações anteriores, o 4G, 3G, 2G e 1G. Ao passo que o 1G possuía uma velocidade de 2kbits e o 4G de 1Gbits, o 5G vai garantir uma velocidade para baixar informações de até 100Gbits. A capacidade do 5G de conectar dispositivos vai poder abarcar cerca de 1 milhão de aparelhos eletrônicos por quilômetro quadrado.

Entre os parâmetros que a nova tecnologia que já estreou em Brasília irá oferecer, está a capacidade de permitir mais dispositivos eletrônicos conectados ao mesmo tempo, um avanço cada vez mais necessário visto o avanço da internet da comunicação, que está cada vez mais íntegra dentre os dispositivos tecnológicos. Com isso, a velocidade de navegação também vai aumentar com o 5G, assim, será mais simples o consumo de serviços mais complexos, como transferências de arquivos, comunicações em tempo real, o consumo de streaming ou dos jogos eletrônicos.

Em conformidade com o MCTIC, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o 5G está além de apenas uma melhoria das gerações anteriores.

Como está descrito no documento que discute acerca da estratégia brasileira para tecnologia, que já está presente em Brasília, “As redes móveis 5G proporcionarão serviços avançados de banda larga móvel, com taxas de dados mais altas, menor latência e mais capacidade, que possibilitarão enorme potencial para novos serviços sem fio de valor agregado”.

Mudanças com a nova da tecnologia

A nova tecnologia do 5G que surgiu em Brasília nesta quarta, 6, vai prestar um suporte a inúmeros tipos de aplicações benéficas. Essas aplicações abarcam desde sistemas de pagamento até viabilização de carros que funcionam sem motorista, bem como outros produtos de Internet que envolvem sensores e monitoramento em fábricas ou sem serviços públicos.

Na avaliação do MCTIC, o 5G vai contribuir também para produção. “O 5G vai ser um componente importante para o aumento da troca desembaraçada de dados entre máquinas, instalações, humanos e robôs, que vai permitir o desenvolvimento de uma logística inteligente, produção conectada de sistemas cyber-físicos e de comunicação máquina a máquina. A combinação dessas e de outras tecnologias digitais no setor secundário possibilita o avanço industrial conhecido como ‘Indústria 4.0’”, destaca o MCTIC no documento de consulta pública sobre a estratégia para o 5G, realizada no ano passado.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes