Sete Brasil vai negociar com empresa vencedora da licitação das 4 sondas

Sete Brasil vai tentar melhorar a proposta

Decisão da assembléia de credores da Sete Brasil é de abrir negociações para tentar melhorar a proposta da Magni Partners referente a licitação das quatro sondas

Em assembléia de credores da Sete Brasil, a decisão foi unânime, tentar melhorar a proposta da empresa vencedora Magni Partners, em relação ao pacote de quatro sondas, duas em construção no Brasfels, em Angra dos Reis (RJ) e duas no Jurong, em Aracruz (ES).
O objetivo de abrir negociação é tentar melhorar a proposta de US$ 250 milhões para a compra das sondas Urca, Frade, Arpoador e Guarapari.

Os credores e a Sete Brasil, ficaram decepcionados com a proposta de 54% abaixo do valor previamente estipulado (US$ 554 milhões), e a intenção agora é atuar também nas negociações com os estaleiros Brasfels e Jurong, pois segundo os credores os valores altos pedidos para o término das obras foi um dos responsáveis pelo baixo valor ofertado na compra das sondas.

A assembléia

A assembléia decidiu por realizar uma nova reunião no dia 26 de maio, já com a intenção de avaliar a nova proposta, resultado das negociações.

Os credores e a Sete Brasil lutam contra o tempo, pois a pressão exercida pela Petrobras tem aumentado consideravelmente, com inclusive o envio de cartas de multas pelo atraso na entrega das unidades.

A tentativa dos credores de partir para a negociação tem poucas chances de sucesso, pois a Magni Partners foi a única a apresentar proposta para as quatro sondas.

Vale lembrar que o estaleiro Brasfels, controlado pela Keppels, fez proposta somente por duas sondas, as que estão sob sua construção, US$ 35 milhões para a Urca e US$ 15 milhões para a Frade.

Os credores da Sete Brasil participantes do processo são ao todo 22, incluindo os estaleiros Keppel fels e Jurong, ou seja, 12 acionaistas (BTG Pactual, Luce, EIG Global Energy Partners, Lakeshore, Previ, Petros, Funcef, Valia e FI-FGTS, Santander, Bradesco e Petrobras), cinco bancos e mais cinco estaleiros.

A ThyssenKrupp, empresa líder do Consórcio Águas Azuis, vencedora da licitação da Marinha para construir quatro Corvetas, pretende assumir ainda este ano o Estaleiro Oceana, em Itajaí (SC) !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships