Refinaria da Petrobras no Paraná registrou princípio de incêndio na madrugada do último sábado (13)

Roberta Souza
por
-
17-02-2021 16:24:44
em Refinaria e Termoelétrica
Refinaria, Petrobras, Paraná Refinaria Presidente Getúlio Vargas – Repar

O princípio de incêndio na refinaria da Petrobras foi rapidamente controlado, sem deixar mortos ou feridos

A unidade da Petrobras, a Repar – Refinaria Presidente Getúlio Vargas, localizada em Araucária no estado do Paraná, registrou um princípio de incêndio na madrugada do último sábado (13), sem causar feridos ou danos materiais. Segundo a empresa, “o acidente foi imediatamente controlado pelas próprias ações da unidade” e não houve necessidade de desmobilizar o corpo de bombeiros.

Veja também outras notícias do dia:

Em nota, a estatal brasileira informou que o princípio de incêndio começou após “uma interrupção no procedimento de partida, que resultou em pequeno vazamento de diesel”, durante manobras de retomada de produção da UHDS (Unidade de Hidrossulforização de Diesel) da refinaria. “A unidade retomou a operação ainda no mesmo dia. Não houve danos a pessoas, meio ambiente ou instalações”, diz a nota da Petrobras.

A FUP (Federação Única dos Trabalhadores do Petróleo) relatou o incidente na manhã desta terça-feira (16) como evidência do processo de “precarização do trabalho e da segurança das operações do refino, que vai aumentar com privatizações das plantas”.

A federação disse que “”No momento do acidente, apenas um operador era responsável por toda a unidade. O trabalhador teve de chamar reforços para controlar a situação”, diz uma nota divulgada pela FUP, ressaltando que, “felizmente, não houve feridos ou danos às instalações, segundo informações do Sindipetro-PR/SC (Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina)”.

Raízen, a gigante produtora de etanol no Brasil, está a um passo de comprar da Petrobras a refinaria Repar

Raízen, a gigante produtora de etanol no Brasil e a dona dos postos Ipiranga – Ultra, estavam na disputa pelas refinarias Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, colocadas à venda pela Petrobras.

No dia 19 de janeiro, a Petrobras informou que que em fase de negociação com a Ultrapar. As negociações entre a Petrobras e o Grupo Ultra, que já tem operações na região, para a compra da Refap está estimado entre US$ 1,2 bilhão e US$ 1,4 bilhão.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos