Privatizações de empresas de energia elétrica, abastecimento, portos e mais, são previstas para 2021

Roberta Souza
por
-
17-02-2021 10:49:06
em Economia, Negócios e Política
BNDES, energia elétrica, portos

Neste ano de 2021, pelo menos 11 editais de privatizações de empresas de energia elétrica, portos, gás e mais, serão publicados pelo BNDES

Organizados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) uma lista de projetos de privatizações podem ser lançados até o final de 2021. Pelo menos, 11 editais de privatizações de empresas nos setores de energia elétrica, abastecimento, portos, tecnologia, ativos imobiliários e gás natural serão lançados.

ANÚNCIO

Confira ainda outras notícias do dia:

Os especialistas acreditam que uma nova rodada de privatizações aumentará a participação estrangeiras em ativos estatais. Acredita-se que a redução do investimento estrangeiro direto até 2020 é uma resposta pontual à pandemia da covid-19. A saída de algumas empresas brasileiras ocorreu no setor de localização, como automóveis e outras condições precárias de mercado.

Luiz Claudio Campos, responsável pela área de governo e setor público no Brasil e América do Sul na consultoria EY, diz que “Há excesso de liquidez no mercado internacional, aumento do capital intensivo. Há frentes de atuação em programas de privatização do governo federal, concessões estaduais e municipais. Com a aprovação do marco legal do gás, é possível que a privatização do setor acelere na esfera estadual”.

Elias de Souza, líder da área de governo e serviços públicos da consultoria Deloitte, disse que grande parte dos negócios anunciados pelo Brasil tem recebido atenção de investimentos estrangeiros, principalmente unidades de saúde. Elias diz que “Questões como liberação do financiamento, modelo de venda e estimativas de retorno da variação cambial influenciam o interesse do investidor”.

Participações em estatais:

Desde a década de 1990, empresas de capital estrangeiro têm desempenhado um papel importante na privatização de empresas no Brasil, onde pelo menos cinco das nove empresas privatizadas detinham 15% ou mais das ações dos investidores estrangeiros.

A mineradora Vale é um forte exemplo, onde os acionistas estrangeiros detém 57% das ações da empresa. A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aeronaves civis, possui escritórios, departamentos industriais, centros de distribuição de peças e serviços nas Américas, África, Ásia e Europa, com estrangeiros detendo 15,1% das ações.


⇒ Participe dos nossos grupos do Telegram e fique atento a todas as notícias do mercado de energia, empregos, projetos e outros assuntos microeconômicos do Brasil. Nossas informações sempre são direto das fontes e atualizadas. Acesse o Nosso Telegram aqui.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos