Pré-sal: Segundo MME, os blocos de Sépia e Atapu, na Bacia de Santos, podem receber investimentos de R$ 204 bilhões

Bacia de Santos – pré-sal – Sépia – MME Plataforma de petróleo/ Fonte: Governo Federal

Ambos localizados no pré-sal da Bacia de Santos, os blocos de Sépia e Atapu serão leiloados na 2ª Rodada da Cessão Onerosa da ANP, em dezembro

Com expectativa de investimentos da ordem de R$ 204 bilhões com o leilão das áreas de Sépia e Atapu, o MME realizou ontem, por meio da Agência Nacional do Petróleo (ANP), audiência pública referente à 2ª Rodada de Licitações dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa sob o regime de partilha da produção. O leilão das áreas no pré-sal na Bacia de Santos está previsto para o final deste ano. Veja ainda: Petrobras começará projeto de monitoramento sísmico no campo de Sapinhoá, no pré-sal, na Bacia de Santos

Leilão das áreas no pré-sal da Bacia de Santos

Após a realização de Consulta Pública, a Audiência Pública nº 08/2021, realizada por videoconferência, a ANP divulgou que recebeu 594 contribuições, sendo 182 ao pré-edital e 412 às minutas de contrato de partilha para esta segunda rodada de leilão, no qual os blocos de Sépia e Atapu, localizados no pré-sal da Bacia de Santos, serão negociados.

O secretário executivo-adjunto do Ministério de Minas e Energia (MME), Bruno Eustáquio, afirmou que o momento é histórico e precisa ser celebrado. Ele destacou, além do corpo técnico do MME, a participação da Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA), da ANP, e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), no projeto do certame na Bacia de Santos, e destacou a importância do Tribunal de Contas da União (TCU), “que deu uma importante recomendação nessa estruturação”.

Modificações no leilão dos blocos de Sépia e Atapu

Entre as mudanças realizadas para o novo leilão, marcada para 17 de dezembro, está a publicação prévia dos valores de compensação que devem ser pagos à Petrobras pelos vencedores, devido aos investimentos já realizados nas áreas na Bacia de Santos. Também houve a publicação no edital do leilão do modelo do acordo de coparticipação que vai ser assinado entre a Petrobras e os ganhadores do certame. “Do primeiro certame para o atual aprendemos muito e fizemos nosso dever de casa”, disse o diretor da ANP, Dirceu Amorelli, durante a audiência.

Os valores dos bônus de assinatura na nova rodada serão de R$ 7,13 bilhões para Sépia e de R$ 4 bilhões para Atapu. Já os percentuais mínimos do excedente em óleo da União serão de 15,02% para o campo de Sépia e de 5,89% para Atapu. A ANP recebeu 594 contribuições de oito agentes, incluindo grandes petroleiras, como ExxonMobil, Equinor e Chevron.

A cessão onerosa é um regime de contratação direta de áreas para a Petrobras. Devido à descoberta de volumes excedentes aos máximos estabelecidos para exploração e produção pela estatal, o governo optou por permitir que novas sócias entrassem nas áreas.

Veja ainda: Petrobras começará a operar o campo de Sépia, na Bacia de Santos, no mês de agosto

O campo de Sépia, área da cessão onerosa do pré-sal da Bacia de Santos, dará início à produção no mês de agosto pela Petrobras. O FPSO Carioca, que será responsável pela produção, deixou o Estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, rumo à Bacia de Santos (a plataforma será a maior da Petrobras, tanto em termos de volume de produção quanto em complexidade).

Sépia é uma das áreas da cessão onerosa do pré-sal da Bacia de Santos. Em 17 de dezembro, o governo vai licitar – pela segunda vez – o volume excedente de petróleo para o projeto, junto com o campo de Atapu. A Petrobras já manifestou direito de preferência e será operadora da área com pelo menos 30% de participação.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos