Portocel inicia testes da nova tecnologia utilizada em terminal para um calado dinâmico com manobras mais eficientes nos navios do porto

Ruth Rodrigues
por
-
30-04-2022 09:11:00
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Os primeiros testes do Portocel quanto à tecnologia utilizada no terminal foi um sucesso e o calado dinâmico agora garantirá mais eficiência nas manobras com os navios que passarão pelas operações de movimentação de cargas no porto Foto: Rogério Sarmenghi/ Portocel Divulgação




Os primeiros testes do Portocel quanto à tecnologia utilizada no terminal foi um sucesso e o calado dinâmico agora garantirá mais eficiência nas manobras com os navios que passarão pelas operações de movimentação de cargas no porto

Ao longo do mês de abril, a administração do Portocel, localizado em Aracruz (ES), realizou os testes iniciais da nova tecnologia utilizada no terminal para as manobras com os navios no calado. E, durante a última sexta-feira, (29/04), os representantes comentaram que os testes foram um sucesso e essas operações de movimentação de cargas no porto serão beneficiadas com ainda mais eficiência e controle de todo o processo.

Tecnologia de calado dinâmico para operações de movimentação de cargas com navios é um sucesso no porto e poderá trazer mais controle para o complexo

Localizado em Aracruz, no estado do Espírito Santo, o Portocel anunciou os primeiros testes da nova tecnologia de calado dinâmico no terminal para as operações de manobra com os navios ainda neste mês de abril e, com isso, se tornou um dos primeiros portos da América Latina autorizados a operar nesta modalidade, após o grande sucesso nos resultados dos testes iniciais, que mostraram muito mais eficiência nas operações com essa nova tecnologia.

Artigos recomendados

Entre os diversos novos recursos de tecnologia para o calado dinâmico no terminal, o grande destaque é o ReDRAFT, que calculam em tempo real e com previsão a folga dinâmica abaixo da quilha, com base nas características de cada navio e do canal de acesso, considerando ainda as condições ambientais do momento da manobra. Dessa forma, o porto consegue ter um cálculo preciso de qual o calado máximo e mínimo para garantir uma segurança ainda maior nas operações de manobras um pouco arriscadas com os navios que chegam ao complexo. 

Todos os testes realizados ao longo do mês de abril foram acompanhados pela equipe da Portocel, pelos representantes da Capitania dos Portos, os principais nomes da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), uma equipe técnica da Praticagem do Espírito Santo e, por fim, alguns representantes da Argonáutica, empresa que opera a tecnologia ReDRAFT. Assim, foi constatado que a tecnologia do calado dinâmico é realmente muito eficiente, desde as atividades de preparação, que antecederam a manobra, até a execução pelos práticos, garantindo muito mais eficiência e controle dessas informações ao longo da operação.

Implantação da nova tecnologia de calado dinâmico vai promover muito mais benefícios para as operações de manobras com navios no porto e nos demais complexos

Após os primeiros testes realizados no terminal do porto, a administração da Codesa afirmou que esse é o primeiro passo para a implantação da tecnologia de calado dinâmico no Espírito Santo e que, após o Portocel ser pioneiro nessa nova solução de manobras com navios, o estado poderá aderir ao projeto mais facilmente. Além disso, a tecnologia também trará mais benefícios à segurança da navegação, ao permitir aferição mais precisa por meio de sensores eletrônicos aplicados numa sistemática de regras para as manobras de navios.

Dessa forma, Anderson da Silva Santos, gerente de Operações e Planejamento Portuário de Portocel, comentou sobre possíveis situações com navios que podem ser beneficiadas com a tecnologia e afirmou que “Em condições adversas, em que possa haver risco de toque da embarcação no fundo mesmo com a aplicação da regra do calado estático, a ferramenta apresenta dados informando os calados máximos seguros para navegação, podendo levar a uma decisão de redução do calado para não postergar a manobra, ou à escolha de uma outra janela considerada segura para saída do navio”.

Por fim, os representantes afirmam que a expectativa é de que haja também um ganho de flexibilidade na escolha de janelas seguras para navegação com os navios e que o terminal seja destaque nessa iniciativa.

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.