Por US$ 1,5 milhão, Petrobras realiza venda de sua participação de campo onshore à Petrom, na Bacia de Sergipe – Alagoas

Roberta Souza
por
-
11-05-2021 12:59:21
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras – onshore – Bacia Sergipe-Alagoas - Sergipe Fachada da Petrobras/ Fonte: O Globo

A Petrobras realizou ontem (10/05) a venda total de sua participação (50%) no campo onshore de Rabo Branco, na Bacia de Sergipe-Alagoas

A Petrobras assinou ontem (10/05) um contrato para a venda de sua participação (que é de 50%) no campo terrestre de Rabo Branco, localizado na Bacia de Sergipe-Alagoas, no estado de Sergipe, para a Petrom. O valor do campo onshore foi de US$ 1,5 milhão e, a partir de agora, a empresa compradora irá obter todos os direitos sobre o campo terrestre de Rabo Branco.

Venda do campo onshore da Petrobras à Petrom

Anteriormente, a Petrobras já havia assinado um breve contrato para a venda do campo onshore à Energizzi Energias do Brasil, porém a Petrom, que detêm os 50% restantes do campo de Rabo Branco na Bacia de Sergipe-Alagoas, e é a operadora do campo atualmente, exerceu seu direito de preferência, conforme previsto em contrato, o que acarretou a rescisão do contrato de compra e venda com a Energizzi. Na celebração do contrato com a Petrom, as mesmas condições foram estabelecidas.

O fechamento da transação com a Petrom Produção de Petróleo e Gás está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, como aprovação pelo Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica e pela ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

O campo onshore localizado na Bacia de Sergipe-Alagoas

O campo onshore de Rabo Branco faz parte da concessão BT-SEAL-13, localizada ao sul do campo de Carmópolis, na Bacia de Sergipe-Alagoas, no estado de Sergipe. A produção média do campo onshore, no ano passado, foi de 131 bpd. A Petrobras possui 50% de participação, em parceria com a Petrom.

A venda do campo onshore da Petrobras à Petrom, na Bacia de Sergipe-Alagoas, está diretamente ligada à estratégia de otimização de portfólio, redução do endividamento e à melhoria de alocação do capital da companhia, e com isso, a Petrobras passa a concentrar cada vez mais os seus investimentos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas, onde a estatal tem demonstrado grande diferencial competitivo nos últimos anos.

Veja também: Petrobras fecha contrato com Keppel para construção de FPSO P-78, na Bacia de Santos

A Petrobras divulgou na manhã de (10/05) que fechou contrato com a Keppel para a realização da construção da plataforma FPSO P-78, que ficará no campo de Búzios, localizado no pré-sal da Bacia de Santos. A Petrobras ainda informou em nota ao mercado que o FPSO P-78 poderá começar sua produção daqui a três anos (2024), e o contrato com a companhia de Singapura ainda prevê atendimento a um conteúdo local correspondente a 25%, com serviços que serão prestados no Brasil, por meio de parcerias na construção naval com empresas nacionais ou terceirizadas.

A Petrobras disse ainda em comunicado ao mercado que o FPSO P-78 terá capacidade diária de processamento de 180 mil barris de petróleo e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

O contrato fechado entre a Petrobras e a Keppel, de Singapura, para a construção do FPSO P-78, no pré-sal, será no modelo EPC (engenharia, suprimento e construção) e prevê ainda 25% de conteúdo local, com serviços a serem executados no país, por meio de parceria ou subcontratação de empresas da construção naval nacional. 

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos