Construção naval: Petrobras fecha contrato com a Keppel para a construção do FPSO P-78, que será instalado no pré-sal, na Bacia de Santos

Petrobras - construção naval - FPSO P-78 - pré-sal Petrobras fecha contrato com a Keppel para construção de FPSO P-78/ Fonte: Reprodução

A Petrobras fechou contrato com a Keppel, de Cingapura, na construção naval da plataforma FPSO P-78 no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos

A Petrobras divulgou hoje (10/05) que assinou contrato com a Keppel Shipyard Limited, de Cingapura, para a construção da plataforma FPSO P-78, que ficará no campo de Búzios, localizado no pré-sal da Bacia de Santos. A estatal informou em nota que o FPSO P-78 poderá começar sua produção em 2024, e o contrato com a Keppel ainda prevê atendimento a um conteúdo local correspondente a 25%, com serviços que serão prestados no Brasil, por meio de parcerias com empresas nacionais ou terceirizadas da construção naval.

O FPSO P-78 da Petrobras no pré-sal da Bacia de Santos

A Petrobras disse nesta segunda-feira, em comunicado ao mercado, que espera que a plataforma do tipo FPSO (capaz de armazenar e transferir petróleo) entre em operação até em 2024. Além disso, a estatal acrescentou que o FPSO P-78 terá capacidade diária de processamento de 180 mil barris de petróleo e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

O projeto do FPSO P-78 deverá ter 13 poços interligados, sendo 6 poços de produção e 7 poços de injeção, no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos. A Petrobras listou a exploração de Búzios como uma de suas prioridades, enfatizando que o local é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo e um ativo de classe mundial com grandes reservas, baixo risco e baixos custos de mineração. Atualmente, o campo de Búzios, no pré-sal, possui quatro unidades em operação, responsáveis ​​por mais de 20% da produção total da Petrobras.

Contrato com a Keppel terá serviços executados pela construção naval brasileira

O contrato fechado entre a Petrobras e a Keppel para a construção do FPSO P-78, no pré-sal, será no modelo EPC (engenharia, suprimento e construção) e prevê 25% de conteúdo local, com serviços a serem executados no Brasil, por meio de parceria ou subcontratação de empresas da construção naval brasileira. O índice de conteúdo local (construção naval nacional) é requisito previsto em edital e compromissado com a ANP para o excedente de Cessão Onerosa do campo de Búzios no pré-sal.

Esta é a segunda unidade a firmar contrato de produção em Búzios após licitação do valor remanescente da cessão de direitos. Em fevereiro, a Petrobras anunciou um contrato direto com a SBM Offshore para arrendar o FPSO Almirante Tamandaré, que será a maior plataforma de produção de petróleo e gás da história do país, com capacidade para 225 mil barris de óleo por barril e 12 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Construção naval brasileira – Estaleiro Brasfels irá realizar obras no FPSO da Teekay

O estaleiro Brasfels, localizado em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, aguarda o FPSO Piranema Spirit, que pertence ao consórcio Altera Infraestrutura (anteriormente conhecido como Teekay Offshore). A plataforma irá para o estaleiro de construção naval para obras de modificação e, em seguida, assinará contrato com a Altera e a Karoon, da Austrália, para a produção do campo de petróleo de Neon, na Bacia de Santos.

A Petrobras desmobilizou o FPSO Piranema Spirit, instalado em Sergipe, no campo de Piranema. A estatal brasileira notificou a Altera Infrastructure da data de 2020, de acordo com o procedimento do contrato que exige um aviso prévio de dez meses.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe