Petrobras paga R$ 190 milhões sobre acordo em arbitragem da Sete Brasil

Flavia Marinho
por
-
18-12-2020 06:47:03
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras - Sete Brasil - Petros

Em agosto, a Petrobras desembolsou R$ 950 milhões à Petros, referente ao montante integral do acordo, sobre o litígio arbitral relacionado ao investimento na Sete Brasil.

A Petrobras anunciou em fato relevante ontem à noite (17/12) que vai pagar R$ 190 mi ao fundo Previ, do Banco do Brasil, para finalizar litígio arbitral sobre as perdas relacionadas à Sete Brasil. 3R Petroleum arremata 14 campos de petróleo onshore da Petrobras na Bahia

Leia também

“O valor está refletido nas demonstrações financeiras da companhia referentes ao 3ºtrimestre de 2020”, diz a Petrobras. “A companhia permanece em defesa de seus interesses nos processos em curso”, conclui.

A estatal pagou R$ 190 milhões para a Previ. Segundo a Petrobras, o acordo extingue o litígio sem reconhecimento de culpa ou responsabilidade por ambas as partes e seus termos e o processo arbitral são protegidos por confidencialidade”, acrescenta o comunicado.

Em agosto, a Petrobras desembolsou R$ 950 milhões à Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), referente ao montante integral do acordo celebrado com a recebedora, sobre o litígio arbitral relacionado ao investimento na Sete Brasil.

Relembre o caso Petrobras x Petros x Sete Brasil

Em 2006, após a descoberta do pré-sal, a Petrobras verificou que não existiam unidades de perfuração em quantidade suficiente para a demanda de exploração.

Para isso, se fez necessário que alguém se dispusesse a construir sondas, assumindo os riscos. Assim surgiu a Sete Brasil, que inicialmente seria responsável pela construção de sete sondas, do total de 28.

No entanto, a Sete Brasil acabou sendo contratada para a construção das 28, divididas em duas etapas.

Os fundos de pensão Petros, Funcef, Previ e Valia deveriam fazer aportes na empresa entre 2011 e 2019, por meio do FIP Sondas, um fundo criado para esse fim.

Em 2015, ainda no auge da Lava-Jato, a Petros informava que “o investimento em Sete Brasil foi realizado observando-se todos os critérios técnicos de governança corporativa e as diretrizes da política de investimento”.

“Sob a ótica de resultado de longo prazo, o investimento mostrou-se, na época, uma boa oportunidade de investimento para garantir a sustentabilidade do negócio e o pagamento dos benefícios em dia”, explicou.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe