Petrobras estuda criar subsidiária para suas termelétricas

Petrobras

Possibilidade é de se criar uma subsidiária de geração de energia reunindo as termelétricas. Petrobras quer depois vender a empresa na bolsa

Depois do STF liberar a venda de suas subsidiárias sem precisar do aval do congresso, a Petrobras estuda a criação de uma subsidiária que reúna as termelétricas para depois ofertar suas ações na bolsa de valores.
A informação foi divulgada pela XP Investimentos através de um relatório enviado a clientes, ontem terça-feira (06/08), após reunião com executivos da petroleira e da qual também participou o CEO da Petrobras, Roberto Castello Branco.

As refinarias

O portfólio de termelétricas da Petrobras tem capacidade instalada de mais de 6 mil megawatts, o que faz da empresa uma maiores geradores de energia do Brasil.
O programa de desinvestimentos da estatal ainda não vendeu a totalidade da participação da empresa em suas refinarias, apenas a TermoBahia teve sua metade do controle vendida à francesa Total.

Outra hipótese que está sendo estudada pela petroleira é a criação de uma companhia de ativos de transporte de petróleo e gás, juntamente com empresas de petróleo que atuam no pré-sal.

Os diretores da Petrobras mencionaram a possível criação de uma empresa de transporte (midstream) no modelo de consórcio e logo após isto poderia ser vendida a participação da empresa, lançando ações na bolsa (IPO).

Alinhado com seu programa de desinvestimentos a Petrobras assinou acordo com o CADE para venda de empresas no setor de transporte e distribuição de gás no Brasil e de oito de suas refinarias até 2021.
Aliado a isto a Petrobras tem o planejamento de reduzir os custos do gás natural através incentivo à competição com a abertura do mercado.

Leia também ! Petrobras antecipará perfurações em Uirapuru, na Bacia de Santos !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)