Petrobras abre licitações para embarcações de apoio

Petrobras abre licitação

Com o aumento da atividade Offshore, cresce a demanda da Petrobras por embarcações de apoio e a quantidade de licitações cresce junto

O mercado Offshore tem mesmo uma cadeia de fornecimento impressionante, com o crescimento dos processos licitatórios de campos exploratórios e a consequente contratação de serviços e unidades exploratórias, mais um mercado começa a se movimentar, o de embarcações de apoio marítimo.
Para atender esta demanda, a Petrobras está promovendo licitações que preveem contratos de afretamento por períodos entre um e quatro anos.

Na última quinta-feira (18/04), a Petrobras começou a receber propostas para afretamento de uma embarcação de apoio a mergulho (DSV).
O prazo para entrega das propostas é curto (menos de 30 dias) e se encerra no próximo dia 8 de maio.

Para esta licitação a Petrobras está exigindo que a embarcação oferecida tenha a capacidade de realizar, além de atividades de mergulho saturado em lâmina d’água de 300 metros, suportar operações de intervenção, inspeção, manutenção e reparo com robôs submarinos de operação remota (ROVs), em lâmina d’água de até 3 mil metros.

Segundo o edital o contrato terá duração de 670 dias, mas poderá ser aditivado com a possibilidade de extensão por, no máximo, 1.825 dias.

Outras licitações deste tipo

Comprovando o bom momento deste tipo de negócio, a Petrobras tem atualmente no mercado mais duas licitações para contratação de embarcações de apoio offshore.
A licitação de um OSRV (Barco de Recuperação de Óleo) por quatro anos e uma outra de um barco P5 (Transporte de passageiros) por um ano.

As embarcações de apoio marítimo são as responsáveis por realizar suprimentos a plataformas de petróleo e serviços de instalação
submarina e serão demandados não só pela Petrobras, como também pelas petroleiras estrangeiras.
Lembrando que a Belov Engenharia, estaleiro baiano, está construindo duas embarcações do tipo SDSV (apoio a mergulho) para a Belov Engenharia (Belov Humaitá e Belov Amaralina).

A Transocean ganha mais trabalho com a Petrobras e outras empresas, adicionando US$ 373 milhões em novos contratos ! Acesse aqui a matéria !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships