Parada de manutenção em refinarias da Petrobras provoca aglomeração de milhares de trabalhadores em todo o Brasil

Roberta Souza
por
-
13-04-2021 13:27:26
em Refinaria e Termoelétrica
Petrobras - refinaria - manutenção Foto: Cortesia dos funcionários da Regap/MG

Paradas de manutenção nas refinarias da Petrobras faz com que cresça a taxa de contaminados pela Covid-19 de trabalhadores da empresa

A Petrobras continua realizando paradas de manutenção em suas refinarias em todo o Brasil. Durante os serviços nas refinarias, milhares de trabalhadores tercerizados de todas as localidades são contratados, aumentado o número de casos de trabalhadores infectados pela Covid-19 durante os serviços. Segundo dados, pelo menos 10 funcionários já faleceram em decorrência do novo coronavírus.

Parada de manutenção em refinaria no estado de Minas Gerais

A Refinaria Gabriel Passos – Regap, da Petrobras, localizada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte teve um surto sanitário de covid-19 durante a parada de manutenção. Na refinaria, já atuavam cerca de 900 funcionários que passaram a ter contato com mais 2.300 terceirizados contratados pela Petrobras para realizar o serviço em duas unidades da planta.

O surto de covid-19 na refinaria da Petrobras em MG começou a dar sinais já na primeira semana de manutenção, no qual 80 funcionários testaram positivo para o novocoronavírus. O Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais afirma que 11 trabalhadores ainda continuam internados e que 5 foram parar na UTI.

Guilherme Carvalho Alves, diretor do Sindicato de Petroleiros de Minas Gerais, diz que eles pediram à Petrobras para que a manutenção ocorresse de forma gradual. Ele ainda afirma que o serviço de manutenção é necessário, a produção de combustível também é essencial, porém Guilherme diz que poderia ocorrer de forma diferente para não ter muitos casos de contaminação.

Aglomeração refinaria Petrobras
Foto: Cortesia dos funcionários da Regap/MG

Refinaria Landulpho Alves da Petrobras

Na Rlam – Refinaria Landulpho Alves, localizada em São Francisco Conde, no estado da Bahia, os trabalhadores também pediram à Petrobras o adiamento da manutenção. Deyvid Bacelar, atual coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros – FUP, diz que as refinarias geralmente interrompem a manutenção a cada três anos, mas pode haver atrasos.

Deyvid cita ainda que algumas regras foram emitidas durante a pandemia que podem adiar a manutenção da Rlam, porém a Petrobras nunca quis discutir o assunto. As regras que ele diz foram criadas pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, é a portaria 15.797, criada em 2 de julho no ano passado. Tal norma diz que devido à pandemia, pode ocorrer o adiamento das inspeções de segurança de alguns equipamentos utilizados pela indústria do petróleo.

Durante a manutenção da refinaria da Petrobras na Bahia, quase 4.000 terceirizados chegaram ao local ainda no mês de fevereiro. O surto de coronavírus no local começou ainda no mês que os trabalhadores chegaram à refinaria e o sindicato diz que 2 trabalhadores morreram.

Refinaria da Petrobras no Paraná

A manutenção na Repar – Refinaria Presidente Getúlio Vargas, que ainda não fechou o quadro de funcionários para as obras, já registrou 3 mortes em decorrência da covid-19. A manutenção na refinaria da Petrobras começou ontem (12) segunda-feira, e cerca de 3.000 funcionários estão no local.

Para as obras de manutenção da Repar, os funcionários contratados chegaram ao Paraná no mês de fevereiro e, desde então, as mortes por covid-19 no país tiveram um crescimento de 1.000 para 4.000.

Alexandro Guilherme Jorge, presidente do Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina, diz que a Petrobras só concordou em adiar parte das manutenções para o próximo dia 26, porém, segundo o presidente isso não é suficiente. Alexandro ainda completa que 99% dos serviços agendados na refinaria não são essenciais, podem ser adiados.

Aglomeração refinaria Petrobras
Fotos: Cortesia dos funcionários da Regap/MG

MME emite dados dos trabalhadores da estatal contaminados por covid-19

Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, desde o início da pandemia, mais de 6 mil funcionários da Petrobras foram infectados pela covid-19. A empresa possui mais de 46.000 funcionários e isso significa que 13% dos trabalhadores da empresa tiveram o vírus. Segundo informações do MME, a Petrobras tinha 339 funcionários contaminados e em quarentena no dia 5. Existem outros 47 funcionários hospitalizados.

A taxa de contaminados da Petrobras é quase o dobro da população total do país. O Brasil tem aproximadamente 211 milhões de residentes e mais de 13 milhões de pessoas foram infectadas, ou seja, representam cerca de 6% do total.

A estatal informou que cumpre todos os procedimentos de saúde para prevenir a propagação do novo coronavírus, inclusive durante paradas de manutenção em suas refinarias, como uso de máscaras, fornecimento de álcool em gel e a medição diária da temperatura corporal dos trabalhadores.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos