Nova usina que transforma lixo em energia limpa, vai alimentar termelétrica no Rio de Janeiro

duas novas usinas

A usina fica em Nova Iguaçu, mas Seropédica, onde fica o maior aterro sanitário da América Latina também ganha usina de biogás que será usado em indústrias e veículos.

Os municípios do estado do Rio de Janeiro, Seropédica e Nova Iguaçu, ganharam duas novas usinas que usarão o biogás como combustível para alimentar termelétrica e em indústrias e veículos.
As usinas foram inauguradas ontem (04/07), pertencem a Gás Verde S.A e produzirão biogás e gás vindo do lixo dos aterros, que é bem mais puro e menos poluente que o gás proveniente do Petróleo.

A Gás Verde S.A declarou que o biogás depois de refinado é vendido como combustível em indústrias e veículos, enquanto que o gás retirado do lixo alimentará a usina térmica da empresa.

Aterro de Seropédica

Ambas as usinas foram instaladas no estado do Rio de Janeiro e umas delas está localizada no município de Seropédica, onde fica o maior aterro sanitário da América Latina.
O aterro recebe aproximadamente 10 mil toneladas de lixo por dia vindas de outros municípios do estado e a nova usina terá a capacidade de produzir 200 mil metros cúbicos diários.

Para se ter uma ideia, este volume é capaz de encher o tanque de 13 mil veículos, quando estiver em plena operação, a unidade produzirá 73 milhões de metros cúbicos de gás natural renováveis (GNR) por ano.

Aterro de Nova Iguaçu

A outra usina foi implantada em Nova iguaçu, município da baixada do estado do Rio de Janeiro, cujo aterro é administrado pela Foxx Haztec.
O gás é comprado pela Gás Verde e é usado para alimentar uma termelétrica de sua propriedade que utiliza 9,5 mil metros cúbicos de biogás por hora e produz 150 mil megawatts-hora (MWh) de energia por ano, o que atende ao consumo de 70 mil residências.

A Gás Verde está muito orgulhosa da entrada em operação das duas novas usinas que produzirão energia mais limpa que a comparada as térmicas movidas a carvão, óleo e gás natural.
Fora a contribuição ao meio ambiente visando redução de gases que provocam o efeito estufa, as usinas contribuirão também como fonte de renda adicional para os aterros sanitários.

Maior fazenda de energia solar do mundo é inaugurada nos Emirados Árabes Unidos. Com 3,2 milhões de painéis, o Noor Abu Dhabi consegue produzir até 1,18 gigawatts.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)