Na abertura da Rio Pipeline 2019, Transpetro diz que vai investir em 1,2 Bi de reais em proteção de dutos

Rio Pipe line tem abertura

Presidente da Transpetro falou, na feira Rio Pipeline, dos investimentos da companhia para combater os roubos em gasodutos

Durante a cerimônia de abertura da Rio Pipeline 2019, a maior feira do segmento de dutos do Brasil, o presidente da Transpetro (braço logístico da Petrobras), Antonio Rubens Silvino, falou sobre as mudanças que a subsidiária vai sofrer com a venda de refinarias e terminais.
O presidente da companhia falou também sobre a estratégia de ser líder em transporte e logística, com foco em petróleo, derivados, biocombustíveis e gás natural no Brasil, sendo competitiva e rentável.

“Estamos bastante confiantes e otimistas em relação ao cenário para o mercado de óleo e gás no Brasil. O ambiente regulatório vai garantir os meios necessários para concorrência plena, com ambiente isonômico para todos os stakeholders envolvidos”, declarou o presidente da companhia.

A Rio Pipeline 2019, começou hoje (3) no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro e vai até o dia 05 de setembro.

Proteção dos dutos

Em um momento em que se fala muito do roubo de combustíveis em dutos da Petrobras, Silvino falou também sobre os investimentos neste segmento de segurança.

Os investimentos declarados na Rio PipeLine será da ordem de R$ 1,2 bilhão nos próximos cinco anos e será baseado na implantação do programa Integrado de Proteção de Dutos, o Pró-Dutos, que visa reduzir em 75% as ocorrências de roubos em gasodutos.

Ainda durante a Rio Pipe line o presidente da Transpetro declarou que já houve uma redução significativa de cerca de 30% dos casos de roubos mais que ainda não é definitiva.
Silvino destacou ainda o aumento dos casos de denúncias pelo canal 168 e que a conscientização da população tem aumentado e ajudado neste quesito.

Leia também aqui no CPG ! Petrobras bate recorde em agosto e atinge produção total de 3 milhões de barris de óleo por dia !

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Posted Under
Sem categoria