Mineradora canadense investirá R$ 54 milhões na exploração de minério de ferro e vanádio, no estado do Ceará

Mineradora – minério de ferro – Ceará Exploração de minério de ferro/ Fonte: Sharecast.com

Executivo do estado do Ceará diz que a mineradora já obteve licença ambiental necessária e está em articulação constante com o governo do Ceará

Na quarta-feira (06/10), secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Jr, anunciou que a Jangada Mines, empresa de mineração canadense, fará investimento R$ 54 milhões na exploração de minério de ferro e vanádio na cidade de Tauá, localizado no estado do Ceará. O secretário ainda ressaltou que o estado do Ceará poderá se tornar centro de referência em mineração no Nordeste em um futuro próximo. Leia ainda esta notícia: Ceará receberá investimentos de R$ 90 bilhões e pode gerar mais de 5 mil empregos, com projetos de hidrogênio verde

Início da extração de minério de ferro e vanádio no Ceará

A mineradora, conforme Maia Jr, já obteve o licenciamento ambiental necessário e está em articulação constante com o governo do estado para assinatura do memorando de entendimento que permitirá o início da atuação da multinacional no Ceará.

Entre os componentes buscados pela mineradora canadense estão o minério de ferro, o vanádio, metal de transição utilizado na indústria carboquímica, e o titânio. A empresa se instalará no município de Tauá, a cerca de 320 km de Fortaleza, capital do estado do Ceará. A expectativa é que sejam gerados cerca de 130 empregos de forma direta.

Grande capacidade anual no projeto da mineradora

A planta de exploração prevê capacidade anual de geração de 300 mil toneladas de minério na primeira fase de produção. O potencial de exploração é bem maior, e a mineradora Jangada Mines pretende atingir 1 milhão de toneladas de minério por ano, após a consolidação dos poços de exploração mineral.

Conforme revelou Maia, a data para assinatura do memorando entre a mineradora com o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), será divulgada “em breve”. O secretário destaca ainda, que o potencial de mineração do estado do Ceará será investigado detalhadamente por uma pesquisa nacional da Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM).

O estudo foi encomendado, pelo Ministério de Minas e Energia do Brasil, e terá como foco a descoberta de novos potenciais de negócios relacionados a exploração mineral e produção de energia no País. “Uma coisa muito importante para nós. Estamos celebrando acordo de cooperação com a CPRM para desbravar o potencial mineral do Ceará. É uma honra porque o estado foi escolhido entre outros três estados, o que fortalece nosso potencial de desenvolvimento”, complementa Maia.

A ida da mineradora canadense reforça a exploração mineral e o potencial de conexão, com os demais hubs de desenvolvimento presente no Ceará, em especial o industrial e o químico. Além disso, a capilaridade logística de transporte rodoviário e também de exportação pelo porto do Pecém, tem atraído outras empresas interessadas na exploração de minérios no estado.

Confira ainda esta notícia: Uma das líderes globais da indústria de minério de ferro, mineradora australiana, poderá investir no estado do Ceará e empregos podem ser gerados

O governador do estado do Ceará, Camilo Santana, publicou em sua página do Facebook que se reuniu, com executivos da mineradora Fortescue Metals Group, para discutir a possibilidade da mineradora realizar investimentos no estado do Ceará. Camilo ainda ressaltou, que está buscando atrair novos investimentos e aumentar a geração de empregos no Ceará.

O governador ressalta que tem trabalhado muito para atrair novos investimentos ao estado do Ceará e, com isso, aumentar a geração de empregos para os cearenses. A mineradora FMG é uma empresa australiana de minério de ferro. Em 2017, a Fortescue foi considerada a quarta maior produtora de minério de ferro do mundo, depois da BHP, Rio Tinto e Vale.  A mineradora possui participações de mais de 87.000 km² na região de Pilbara, no oeste da Austrália, tornando-se a maior detentora de cortiços no estado, maior do que a BHP Billiton e a Rio Tinto.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe