Mineração Vale Verde financiará projeto de cobre de Serrote em Alagoas com investimentos de R$ 141 milhões

Valdemar Medeiros
por
-
05-02-2021 11:39:11
em Indústria e Construção Civil
Mineração vale verde - alagoas - investimentos

Alagoas ganha investimentos em projeto de mineração de cobre junto a mineradora Mineração Vale Verde

A Mineração Vale Verde anunciou nessa quinta-feira (4) que obteve um financiamento de US$ 140 milhões para investimentos do projeto de concentrado de cobre na cidade de Craíbas, em Alagoas.

ANÚNCIO

Leia também

Com a operação – que envolveu os bancos ING, Natixis e Société Générale–, a Mineração Vale Verde pretende aplicar investimentos a todos os custos remanescentes para o desenvolvimento do ativo, indicando que agora há capital para levá-lo até o período de produção, segundo comunicado ao mercado.

Como parte do negócio completo envolvendo o projeto da Mineração Vale Verde, o fundo Appian Natural Resources Fund II vai obter um royalty sobre uma parcela da produção de Serrote (como é denominado o projeto em Alagoas). De acordo com o comunicado, Serrote caminha para iniciar produção no segundo semestre de 2021.

Investimentos na mineração brasileira

A Mineração Vale Verde afirma que a construção está “progredindo dentro do prazo e em linha com o orçamento, com mais de 94% da execução total do projeto concluída”. Um estudo desenvolvido antes do início da construção apontou que Serrote deve produzir cerca de 20 mil toneladas de cobre equivalente por ano por uma vida útil inicial de 14 anos, com a mina a céu aberto suprindo uma unidade de processamento de 4,1 milhões de toneladas/ano.

“A transação é um desenvolvimento importante, que reconhece o progresso contínuo e os importantes marcos alcançados até o momento, destacando a atratividade deste depósito de alta qualidade de concentrado de cobre”, disse o CEO da mineradora, Paulo Castellari.

Alta na mineração

De acordo com reportagem do jornal Valor Econômico, a pandemia de Covid-19 fez o preço do cobre aumentar. A cotação média do ano foi de US$ 6,2 mil a tonelada, mas o metal tem sido negociado próximo de US$ 8 mil a tonelada, com perspectivas de subir mais.

“Em 2020, o preço do cobre foi pressionado pela oferta. Com a pandemia, Peru e Chile, os principais produtores mundiais tiveram queda na produção. Do lado da demanda, a China sustentou o crescimento mundial. O que deu um equilíbrio entre oferta e demanda”, disse Paulo Castellari.

Segundo ele, a demanda média ficou em 24,6 milhões de toneladas depois dos investimentos, próximo à oferta. Para 2021, Castellari prevê aceleração dos preços com o descolamento da oferta frente à demanda mundial. A estimativa do mercado, diz, é uma cotação média em torno de US$ 6,6 mil a tonelada.

Castellari ressaltou que as expectativas é de crescimento do PIB mundial com o início da vacinação nos países. A estimativa do Banco Mundial, segundo ele, é de uma alta de 5%; na China, crescimento de 8%.

 “A produção mundial deverá somar 25,5 milhões de toneladas e o consumo, 25,8 milhões. E não se espera aumento na oferta; não há muitos projetos para entrar em operação nos próximos anos”. A Mineração Vale Verde (MVV) deve entrar em operação no segundo semestre de 2021 e a expectativa é que sejam produzidas 8 mil toneladas.


⇒ Participe dos nossos grupos do Telegram e fique atento a todas as notícias do mercado de energia, empregos, projetos e outros assuntos microeconômicos do Brasil. Nossas informações sempre são direto das fontes e atualizadas. Acesse o Nosso Telegram aqui.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.