Mercado do gás no Brasil tem perspectiva de sucesso, avalia especialistas na Rio Energy

Júnior Aguiar
por
-
28-05-2021 07:24:24
em Petróleo, Óleo e Gás
Rio Energy 26 de maio de 2021 mercado de gás Painel da Rio Energy e palestrantes do dia 26 de maio de 2021/ Fonte: Rede Petro

O mercado do gás natural tem perspectiva positiva. Entenda o porquê na avaliação detalhada de especialistas durante a Rio Energy.

A perspectiva do mercado do gás natural foi debatida nesta quarta-feira (26), primeiro dia do circuito Energy 2021, promovido pela Rede Petro Rio. O encontro cujo tema foi “o promissor mercado do gás, um novo horizonte para a cadeia produtiva do estado do Rio de Janeiro” aconteceu de forma virtual, com a participação de importantes representantes de instituições de referência do setor local e do Brasil. Leia também sobre o painel do dia 27 de maio aqui.

O diretor-presidente da Rede Petro Rio, Carlos Cavalcanti, foi quem mediou os debates e deu as boas vindas aos especialistas envolvidos.

Em seguida, foi a vez do diretor da Associação Brasileira das Empresas de Distribuidoras de Gás Canalizado, Marcelo Mendonça, defender a interiorização da distribuição do produto e falar dos números atualizados da indústria no Rio de Janeiro:

  • 80% do total de petróleo no Brasil e 65,8% do gás natural foram produzidos mm março de 2021 no Rio de Janeiro
  • 510 milhões de reais em royalties foram arrecadados pelo Rio de Janeiro também em março de 2021
  • No primeiro trimestre de 2021, mais de 20 milhões de metros cúbicos de gás natural foram consumidos
  • Mais de um milhão de clientes atendidos em 43 municípios cariocas (industrias, residências e comércios)

“O estado do Rio de Janeiro poderia estar muito melhor, se a gente tivesse políticas para incentivar a maior utilização e desenvolvimento de infraestrutura, mas esse cenário pode mudar com a conclusão da obras da rota três e o início da operação do polo da UPGN no antigo Comperj, com capacidade para processar 20 milhões de metros cúbicos por dia, será um grande diferencial para elevar a oferta de gás natural e atrair mais investimentos”.

Marcelo Mendonça

A relevância do mercado do gás do Rio de Janeiro

O especialista em O&G, Marcelo Gauto, também destacou a relevância do Rio de Janeiro na indústria do gás natural e fez uma previsão bastante otimista para o setor com os futuros projetos do présal.

“A nossa produção total é de 110 milhões de metros cúbicos de gás e consumo é de 80 milhões por dia. Nos próximos dez anos, em 2030, deve sair de 110 milhões e mais que dobre 230 milhões. É um colosso em volume de gás natural”.

Marcelo Gauto

Setores de articulação e regulação também enxergam futuro promissor do setor

A Rede Petro Rio, realizadora da Rio Energy, atua entre a oferta e demanda de produtos e serviços do gás, petróleo, energia e metal mecânico, com a realização de negócios e o desenvolvimento sustentável das empresas associadas.

Com esse olhar para os aspectos comerciais, tecnológicos, legais, gerenciais, de recursos humanos, sociais, econômicos e financeiros, setores de gerenciamento do mercado do gás e petróleo também foram convidados para o evento.

A gerente de petróleo e gás da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Karine Fragoso, destacou a importância que o petróleo trouxe para o desenvolvimento humano, e acredita que o gás natural traz mais possibilidades.

“O gás também tem diversas possibilidades de uso que a gente ainda não desbravou. A gente vê uma série de movimentos que é utilizar para fazer a reindustrialização do Rio de Janeiro e para química fina. Não pode ficar só dedicado no GNV. Tem que ser insumos para novas indústrias”.

Karine Fragoso

João Leal, diretor geral do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense (Conleste), acredita que, entre outros instrumentos regulatórios, a Lei 14.134 de 2021, conhecida como Marco Regulatório do Gás, favorece o cenário do setor.

“Nossa região (leste da cidade do Rio) é tão deprimida após a derrocada da Comperj, mas ressurge com muita força e com essa nova roupagem do gás que ingressa na nossa região”.

João Leal

Mercado do gás no renascimento efetivo da Comperj

Atualmente, de acordo com João Leal, já existe uma área de mais de 11 quilômetros quadrados já licenciada nas dependências do antigo Comperj para a industrialização do mercado do gás natural.

A região leste do Rio é cortada pelo arco metropolitano. A via e a BR 493  podem proporcionar o escoamento dos produtos e coprodutos da indústria do gás até o porto de Itaguaí.

Leia também:

Petrobrás: Como potencializar as oportunidades do gás?

O processo de regulamentação das industrias é um dos principais pilares para consolidação do mercado do gás no Rio e em todo o Brasil.

O gerente de estratégias de contratação e parcerias de negócios para a área coorporativa da Petrobras, Juliano Vargas, apresentou o que é importante saber sobre a contratação das industrias do mercado do gás junto a estatal. São quatro passos:

Obter todas as informações sobre as regras de contratação no Canal Fornecedor

  1. Ficar atento às publicações de licitações e pré-qualificações
  2. Estar atento aos detalhes das oportunidades, incluindo as datas de entrega das propostas
  3. Obter o Certificado de Registro Cadastral previamente

O processo passa pela preparação, divulgação, propostas ou lances, julgamento das propostas, verificação da efetividade, negociação, habilitação, recurso e por último a aprovação ou anulação.

Números

Atualmente a Petrobras tem 113 plataformas operando, 13 refinarias, quatro unidades de processamento de gás natural e 19 plantas de geração de energia.

São 5,8 bilhões de gastos anuais, 3,4 mil fornecedores envolvidos e 1,4 mil contratos vigentes.

“Todas as contratações da Petrobras é através da Petronet, para fomentar o mercado e facilitar as empresas à participarem do processo licitatório”.

Juliano Vargas

A Rio Energy continua nesta quinta (27) com o tema “gás natural e transição energética: novas tecnologias, inovação e tecnologia”. O evento pode ser acompanhado pelo Youtube através do canal da Rede Pro Rio a partir das 15h.

Assista o primeiro painel na integra a seguir:

Tags:
Júnior Aguiar
Jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco | Produtor de conteúdo web, analista, estrategista e entusiasta em comunicação.