Governo assina com chineses e trará obras para navios e embarcações de apoio offshore na Paraíba

Estaleiro Paraíba construção naval governo

O governo do estado brasileiro da Paraíba assinou um Protocolo de Intenções com o estaleiro chinês de reparos navais IMC YY, para cooperação no projeto Brasil Basin Drydock Company (BBDC).

O acordo fará com que o IMC YY, da China, opere a instalação da Empresa de Docagens de Pedra do Ingá (EDPI), da BBDC, sob um contrato de longo prazo, anunciou a McQuilling Services, uma das acionistas do BBDC.  O projeto do BBDC será o maior pátio de reparos de navios construído para esse propósito na bacia do Atlântico Sul. Ele contará com duas grandes docas de gravura para navios de doca seca até o tamanho de navios Valemax e um hidrolift para embarcações de apoio offshore menores, de acordo com McQuilling.

Parte de uma iniciativa de desenvolvimento de Cabedelo, maior em todo o porto, o projeto de US $ 900 milhões estará localizado no município de Lucena, no estado da Paraíba, do outro lado do porto de Cabedelo, no extremo leste da América do Sul e construído em várias fases.

O pátio EDPI da BBDC está planejado para uma produção de doca seca de mais de 120 navios por ano.

“Com as atividades ambientais e de engenharia em andamento, nosso foco agora é elevar o patrimônio primário da Fase Um, cerca de US $ 70 milhões, com o objetivo de iniciar as primeiras operações de reparo em 2022”, comentou David Saginaw, diretor comercial da McQuilling Services.

Transpetro encomendará 13 navios a estaleiros até 2023

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Posted Under
Sem categoria
Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.