ExxonMobil aumenta sua área de exploração offshore na Namíbia

ExxonMobil offshore Namíbia

A ExxonMobil está expandindo sua área de exploração na Namíbia, adicionando cerca de 7 milhões de acres líquidos (28.000 quilômetros quadrados)

A Exxon assinou um acordo com o governo da Namíbia e a Corporação Nacional de Petróleo da Namíbia (NAMCOR) para os blocos 1710 e 1810, e acordos de farm-in com a NAMCOR para os blocos 1711 e 1811A. Os blocos estendem-se desde a linha costeira até cerca de 215 milhas (215 quilômetros) da costa da Namíbia, em profundidades de até 13.000 pés (4.000 metros). A ExxonMobil planeja começar as atividades de exploração em 2019, incluindo a aquisição de dados e análises sísmicas.

Mike Cousins, vice-presidente sênior de exploração e novos empreendimentos da ExxonMobil: “Esses acordos proporcionam à ExxonMobil a oportunidade de explorar hidrocarbonetos usando tecnologia avançada na fronteira da bacia do Namibe. Empregaremos nossa experiência significante de upstream e conhecimento tecnológico e trabalharemos em estreita colaboração com a NAMCOR na exploração desses blocos. ”

A ExxonMobil operará os blocos 1710 e 1810 e deterá 90% de participação; A NAMCOR terá uma participação de 10%. A ExxonMobil atribuirá 5% de sua participação a uma empresa local da Namíbia.

Além disso, a ExxonMobil operará os blocos 1711 e 1811A e com uma participação de 85%. A NAMCOR reterá 15% de participação. A ExxonMobil também detém 40% de participação na licença PEL 82 da costa da Namíbia, compreendendo cerca de 2,8 milhões de acres brutos (11.500 quilômetros quadrados).

O ano de 2018 não foi frutífero quando se trata de exploração offshore na Namíbia, pois os poços Cormorant e Prospect S da Tullow e Chariot secaram.

Em 2019, os detentores de áreas de terra no exterior da Namíbia estarão observando de perto o poço Total da França e seu poço Venus, no ultra-profundo offshore da Namíbia, que deverá ser inaugurado ainda este ano.

De acordo com um relatório de Wood Mackenzie, o gato selvagem de águas ultraprofundas terá como meta 2 bilhões de barris de petróleo em uma peça gigante do Cretáceo, perto da fronteira marítima sul-africana.

Localizada no bloco 2913B, essa perspectiva gigante tem um potencial de muitos bilhões de barris. Sua profundidade de água de 3.000 metros será um recorde para a África. No entanto, a exploração da Namíbia está mais associada a espanadores do que a jusantes, portanto, há risco aqui, disse a WoodMac em sua análise no início deste ano.

Rystad Energy disse que o Venus será o mais profundo poço já perfurado na África, e é considerado o maior prospecto já na Namíbia.

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.