Início Escassez de diesel faz com que ANP solicite à Petrobras que adie manutenções, para conter risco de desabastecimento no Brasil

Escassez de diesel faz com que ANP solicite à Petrobras que adie manutenções, para conter risco de desabastecimento no Brasil

15 de junho de 2022 às 10:21
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Petrobras, diesel, ANP
Imagem: Reprodução Pexels / BoStevens

Petrobras confirmou que a ANP solicitou adiamento nas manutenções do segundo semestre, uma vez que há risco de escassez de diesel

A Petrobras considera uma solicitação feita pela ANP, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para delongar as manutenções programadas nas suas refinarias pelo Brasil, esperadas para o segundo semestre de 2022. O dado foi confirmado nesta segunda-feira (13), pela Petrobras, que está avaliando o pedido feito pela ANP, a partir das condições operacionais e de integridade das refinarias de diesel e demais combustíveis.

O planejamento imposto pela ANP visa impedir que o país encare algum tipo de escassez de diesel, já que o Brasil não desenvolve diesel em quantidade aceitável para atender à demanda interna, tendo que comprá-lo de outros países. Contudo, os estoques do combustível estão baixos nos principais centros internacionais, o que vem elevando seus custos.

Artigos recomendados

Carta enviada em Maio para o diretor da ANP visava escassez de diesel

No final do mês de maio, veio à público uma carta enviada por José Mauro Ferreira Coelho, presidente da Petrobras, à Rodolfo Saboia, diretor-geral da ANP, onde o executivo da Petrobras mencionava um “grande risco de desabastecimento de diesel no mercado brasileiro no segundo semestre de 2022”.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

No dia 06 desse mês de junho, no decurso da posse de novos membros da diretoria colegiada da ANP, Saboia declara que: “O abastecimento de derivados de petróleo atualmente é um desafio mundial. Na ANP, temos trabalhado com muito zelo para honrar o nosso compromisso com a sociedade de garantir o abastecimento de diesel e demais combustíveis e proteger os interesses dos consumidores. Por outro lado, as preocupações com a segurança energética reforçam o nosso posicionamento estratégico de aumentar a atratividade brasileira como produtor de petróleo e gás natural”.

Em 2021, o Brasil comprou de outros países cerca de 23,24% do diesel utilizado no país, segundo dados da ANP. Além de ser usado para a movimentação de veículos pesados, como ônibus e caminhões que escoam mercadorias de todos os tipos pelo país, o diesel também é utilizado na geração de energia termelétrica em usinas envelhecidas do país e em geradores particulares, como os utilizados em hospitais.

Petrobras está prestes a participar de uma transição

A Petrobras está próxima de vivenciar um momento de transição. No dia 09 desse mês de junho, a empresa confirmou ter recebido um ofício, do Ministério de Minas e Energia, com nomes de dez indicados do governo, controlador da empresa, para o Conselho de Administração da Petrobras. Entre eles, estão os nomes de Caio Mário Paes de Andrade, para a presidência da companhia, e de Gilenio Gurjão Barreto, para a presidência do Conselho de Administração.

Atualmente, os indicados aos títulos estão aguardando a marcação de uma Assembleia Geral Extraordinária, que poderá elegê-los.

Caminhoneiros avaliam aumento no preço do diesel

Wallace Landim, conhecido como Chorão, presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), relatou que os caminhoneiros não veem resultados nos preços do diesel com a validação do projeto de lei complementar que determina um teto para as alíquotas do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis, energia, telecomunicações e transportes.

De acordo com Wallace, qualquer tributo que se declare retirar do preço de combustível será inútil para sua efetiva redução. O projeto aprovado ainda passará pela Câmara. “O que se tem é uma diminuição temporária que, talvez, seja suficiente para reduzir o valor por dois ou três meses, no máximo, sendo que isso, ainda dependerá da frequência de aumentos promovidos pela Petrobras, que está atrelado ao mercado internacional”, disse, em nota.

Chorão disse ainda que não consegue afirmar se a redução do preço dos combustíveis vai chegar nos postos de combustíveis e que a categoria já empenha-se com a esperança de uma nova declaração de aumento dos preços pela Petrobras.

Relacionados
Mais recentes